Unicamp de Portas Abertas: cutucaram o formigueiro

Fonte Imprensa Unicamp 31/08/2014 às 11h

Unicamp de Portas Abertas: cutucaram o formigueiro

Cutucaram o formigueiro, brincou um motorista a serviço da UPA 2014 – Unicamp de Portas Abertas, ao ver os milhares de estudantes do ensino médio enfileirados para tomar os ônibus internos com destino às unidades de ensino e pesquisa, ou mesmo se espalhando a pé pelo campus atrás das placas carregadas pelos monitores. Os inscritos passavam dos 42 mil, vindos de escolas de nove estados do país, em 570 ônibus, 50 microônibus e 40 vans. Considerando os que vieram por conta própria, muitos com a família que arrumou um programa para a bela manhã de sábado, o público certamente ultrapassaria 50 mil. Mais de duas mil pessoas, entre professores, graduandos, pós-graduandos e funcionários foram mobilizados para a recepção aos visitantes. “Mais uma vez a Unicamp abre suas portas para esse mar de jovens que querem conhecê-la nas suas múltiplas facetas – o ensino, a pesquisa e a extensão – que a colocam entre as 15 mais jovens do mundo, segundo avaliação internacional; e como a melhor do Brasil, segundo os indicadores acadêmicos”, disse o professor Alvaro Crósta, coordenador-geral da Universidade e da UPA, momentos antes da cerimônia de abertura. “Queremos mostrar a eles o potencial da instituição enquanto formadora de recursos humanos de qualidade, prontos para atuar profissionalmente em suas áreas.”

Alvaro Crósta comentou que, além dos visitantes de primeira viagem, existe um público antigo extremamente fiel, sobretudo de professores das redes pública e particular, que fazem questão de vir ao campus todos os anos. “São professores que eram alunos quando visitaram a UPA – que adotou esse formato há onze anos – e muitos upianos que agora trazem seus irmãos, representando várias gerações, o que nos orgulha muito. O que estamos mostrando hoje  é uma universidade jovem, dinâmica e energética.”

Endossando a afirmação do coordenador-geral da UPA, Guiomar Siqueira, professora de química da Escola Estadual Wadih Jorge Maluf, de Sumaré (SP), assegurava que nunca perdeu uma edição do evento desde 2003. “Trouxe um grupo de dezesseis alunos interessados em visitar as áreas de química, medicina e engenharias. Gosto demais da UPA, pois acho que ajuda bastante os meninos na escolha de uma profissão, dando-lhes a oportunidade de conhecer algo novo, em que sequer tinham pensado. Além disso, é tudo muito bem organizado.”

As engenharias também eram o interesse de Nayane Ribeiro e um grupo de amigos vindos de Andradas (MG). “Conhecer uma universidade como a Unicamp é muito importante para nós jovens, que estamos pensando em nosso futuro”, afirmou a estudante, prestes a pegar o ônibus que levaria seu grupo para a área de exatas. Na grande tenda montada no estacionamento atrás da Biblioteca Central, já começava a cerimônia de abertura, que seria seguida de uma apresentação da Orquestra Sinfônica da Unicamp e de outras atrações culturais.

Logo, o campus estaria completamente tomado pelos alunos de ensino médio, que realmente pareciam saídos de um formigueiro para se entreter com as atividades preparadas pelas unidades de ensino e pesquisa, além de conhecer os programas de apoio oferecidos àqueles que sonham em ser mais um graduando da Unicamp. O sábado tinha muito mais gente do que a população que normalmente circula pela Universidade nos dias de semana.

Imprensa Unicamp
Fonte Imprensa Unicamp 31/08/2014 ás 11h

Compartilhe

Unicamp de Portas Abertas: cutucaram o formigueiro