Unicamp amplia intercâmbio com AL

Fonte Imprensa Unicamp 13/03/2013 às 20h

Unicamp amplia intercâmbio com AL

A visita de uma numerosa missão da Colômbia, nesta quarta-feira (13), integrada por 85 representantes de instituições de ensino superior e órgãos do governo da Colômbia, ilustra o incremento que a Unicamp vem promovendo na cooperação e intercâmbio com a América Latina. “É uma satisfação muito grande recebê-los na Universidade de Campinas, que tem como um dos seus objetivos mais importantes aumentar o grau de internacionalização”, ressaltou o reitor Fernando Costa, ao recepcionar a delegação. “A cooperação com os países vizinhos – e a Colômbia em especial – é uma das nossas prioridades. Não por acaso, o maior número de estudantes estrangeiros nesta Universidade é de originários da Colômbia”, completou o reitor.
O encontro faz parte do programa Missões Acadêmicas para a Promoção da Educação Superior na América Latina (Mapes), instituído pelo governo colombiano em 2009, sendo que esta viagem ao Brasil tem o apoio dos Ministérios da Educação e das Relações Exteriores de ambos os países. “Em 2012, a Unicamp recebeu 26 colombianos na graduação, equivalente a 8% dos nossos alunos de intercâmbio, e 203 na pós-graduação, o que representa 32% dos estrangeiros”, informou o professor Alberto Luiz Serpa, coordenador de Relações Institucionais e Internacionais. “Juntos, eles compõem a maior população vinda do exterior. Temos vinte acordos com universidades colombianas”, acrescentou.
O professor Leandro Tessler, assessor da Reitoria, esteve por seis ocasiões na Colômbia nos últimos quatro anos, em três delas para o Latin American and Caribbean Higher Education Conference (Lachc), espaço onde a visita à Unicamp foi planejada. “O porte dessa missão é sinal do forte investimento que o governo do país vizinho promete fazer no Brasil. Houve uma decisão estratégica no início da gestão do professor Fernando Costa, no sentido de priorizar países latino-americanos em termos de cooperações e intercâmbios. E percebemos o grande potencial da Colômbia, que já naquela época tinha um número importante de estudantes de pós-graduação na Universidade”, comentou.

Segundo Tessler, uma das medidas para aumentar esse intercâmbio foi o estabelecimento de um programa de crédito educativo para que pós-graduandos colombianos viessem a Campinas pelo Instituto Colombiano de Crédito Educativo e Estudos Técnicos no Exterior (Icetex). “Mais recentemente, assinamos um acordo com o Colciencias (equivalente ao CNPq colombiano), que vai conceder bolsas integrais para que seus estudantes façam mestrado e doutorado na Unicamp, além de prever fundos para que nossos professores passem períodos curtos em instituições de lá. A ideia é que possamos contribuir para estabelecer programas de pós na Colômbia.”
Em relação aos demais países da América Latina, Leandro Tessler lembra o bom relacionamento que a Unicamp mantém com os membros da Associação de Universidades do Grupo Montevidéu (AUGM), aos quais concede 48 bolsas de estudo, e a vinda dos primeiros estudantes pelo Centro Interuniversitário de Desenvolvimento (Cinda), nesta gestão. “O número de intercambistas do continente teve um aumento bastante significativo: de apenas oito estudantes de graduação colombianos em 2009 passamos para 26 em 2012. Os vindos da América Latina e Caribe aumentaram de 113 para 194 no mesmo período.”
Visita aos laboratóriosDepois de ouvir uma apresentação da Unicamp pelo reitor Fernando Costa, os colombianos foram levados a um tour pelo campus. Na parte da tarde, realizaram visitas paralelas aos laboratórios da Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC), Instituto de Física Gleb Wataghin (IFGW), Faculdade de Ciências Médicas (FCM) e Faculdade de Engenharia Mecânica (FEM). A incursão terminou no Polis de Tecnologia do CNpQ, localizado em Campinas.
Natalia Jaramillo Manjarrés, chefe de Assuntos Internacionais do Ministério da Educação da Colômbia, afirmou que esta missão esteve em quatro países no ano passado: Panamá, Bolívia, Peru e Equador. “Estamos visitando países estratégicos para o fortalecimento de alianças entre nossas universidades e as latino-americanas. Depois do Brasil, vamos ao México no segundo semestre. Nosso objetivo é promover a Colômbia como tendo um ensino superior de qualidade. Hoje em dias existe uma grande mobilidade de colombianos ao Brasil, mas queremos ter maior conhecimento das universidades brasileiras em nível institucional.”
A missão colombiana, onde estão representadas 54 instituições daquele país, participou de encontros desde segunda-feira na USP, Unesp, Unifesp, Mackenzie, Senai e Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo. Em 2013, a Colômbia será o país que receberá o maior número de bolsas no âmbito do Programa Estudante-Convênio de Pós-Graduação (PEC-PG), mantido pela Capes: 108 (43%) de um total de 250, demonstrando que o relacionamento entre os dois governos no campo do ensino superior vem se intensificando nos últimos anos.

Imprensa Unicamp
Fonte Imprensa Unicamp 13/03/2013 ás 20h

Compartilhe

Unicamp amplia intercâmbio com AL