Tolmasquim descarta desabastecimento no setor de energia em 2015

Fonte Portal Brasil* 27/08/2014 às 9h
O presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, voltou a afirmar, nesta terça-feira (26) em São Paulo, que não existe atualmente qualquer indicativo de que o País venha a ter problemas de desabastecimento de energia no próximo ano. "Não falamos de risco zero em 2015, mas é um risco muito pequeno", disse durante um seminário sobre perspectivas para o setor, promovido pela Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais (Apimec - SP) e BM&FBovespa.

Segundo ele, dados colhidos pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) indicam que o nível dos reservatórios na região Sudeste pode chegar até a 20% em novembro, início do período chuvoso. A previsão anterior era de uma armazenagem equivalente a 18,5% dos reservatórios no mesmo período.

Se a projeção se confirmar, o armazenamento no início do período chuvoso seria equivalente a duas vezes o patamar mínimo de 10%, necessário para assegurar a operação do sistema energético brasileiro.

De acordo com Tolmasquim, o ONS fez simulações a partir desse patamar de 20% em novembro, para tentar antecipar qual será o nível de armazenamento dos reservatórios em 2015. Com base nos números de 81 séries históricas das últimas décadas, apenas cinco sugerem que o patamar de 10% poderia ser rompido para baixo. Destas, apenas uma indica valores abaixo de 10% em julho.

Térmicas

Maurício Tolmasquim acrescentou ainda que o leilão de energia A-5, marcado para setembro, terá a participação de projetos térmicos abastecidos por gás natural, nacional e importado, carvão e biomassa. Ele adiantou que algumas térmicas usarão gás nacional, como o do Amazonas, e outras utilizarão combustível importado, o gás natural liquefeito (GNL). As térmicas são estratégicas porque podem ser acionadas para garantir o suprimento de energia quando a estiagem afeta o fornecimento das hidrelétricas.

O leilão A-5 vai contratar energia de novas usinas que será utilizada em até cinco anos e terá participação de hidrelétricas, eólicas e solares. O evento será realizado na sede da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), em São Paulo.

O edital do leilão foi aprovado nesta terça-feira, durante reunião pública, pela Diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). As instruções para o encaminhamento das Declarações de Necessidade poderão ser encontradas no site do Ministério de Minas e Energia (MME).

*Com informações da EPE
Portal Brasil*
Fonte Portal Brasil* 27/08/2014 ás 9h

Compartilhe

Tolmasquim descarta desabastecimento no setor de energia em 2015