Tecnologias para pecuária serão apresentadas em evento

Fonte Embrapa 27/08/2014 às 15h
A Embrapa Pecuária Sul estará presente na Expointer 2014, uma das maiores feiras agropecuárias do País, que será realizada entre 30 de agosto e 7 de setembro, em Esteio (RS). Na ocasião, a unidade apresentará tecnologias e inovações que contribuem com a pecuária nos Campos Sul-brasileiros.

Nesta edição, o centro de pesquisa localizado em Bagé (RS) vai apresentar três tecnologias desenvolvidas e que se encontram à disposição dos produtores rurais: seleção genômica de touros Hereford e Braford resistentes ao carrapato; Provas de Avaliação a Campo; e novas cultivares de leguminosas forrageiras para o incremento da qualidade e sustentabilidade de pastagens consorciadas.
Seleção genômica

Na busca de alternativas para o combate e o controle do carrapato em bovinos, a Embrapa Pecuária Sul está utilizando uma nova ferramenta: a seleção genômica.

Uma pesquisa, realizada em parceria com a Conexão Delta G, GenSys e Associação Brasileira de Hereford e Braford, com mais de três mil animais das raças Hereford e Braford possibilitou identificar, por meio da seleção genômica, animais mais resistentes a este ectoparasito, que é um dos principais problemas da pecuária no Sul do Brasil.

Coordenada pelo pesquisador Fernando Flores Cardoso, os resultados obtidos na pesquisa foram estruturados em um documento inédito no mundo, o Sumário Genômico de Touros Hereford e Braford com resistência ao carrapato. Uma nova edição, revisada e ampliada, será lançada durante a Expointer. A ferramenta vai trazer benefícios tanto para consumidores como para produtores.

Para os consumidores, a menor utilização de princípios químicos para o controle do parasito resulta na diminuição de resíduos na carne. Já para os produtores as vantagens são econômicas, trazidas com a redução na compra de antiparasitários e menos perdas de animais causadas pela Tristeza Parasitária Bovina, principal morte de animais.

Provas de Avaliação a Campo

Em parceria com Associações de Criadores de Raças, a Embrapa Pecuária Sul realiza anualmente Provas de Avaliação a Campo (PACs) que identificam bovinos reprodutores superiores de cada raça. Para esta identificação, touros jovens dos principais criatórios são enviados para a Embrapa e durante um período de cerca de oito meses são submetidos a um mesmo ambiente e alimentação. Depois desse período, são avaliadas características de importância econômica para cadeia produtiva da carne, a partir de critérios pré-definidos.

Com isso, por exemplo, é possível identificar reprodutores com maior potencial genético aditivo para produzir, com rentabilidade, quantidade e qualidade de carne que atendam as exigências da indústria e do consumidor. Outro objetivo dessa tecnologia é valorizar reprodutores comprovadamente melhoradores para índices de produção em rebanhos elite e comerciais, por meio de um "selo de participação".

A PAC, coordenada pelo pesquisador Marcos Yokoo, proporciona ainda um incentivo para que criadores possam selecionar com menor margem de erro os seus reprodutores jovens, através da utilização de registros de produção. As provas também são importantes por oportunizarem a transferência de tecnologia por meio da disseminação de material genético identificado como superior.

Novas cultivares

Durante a Expointer, serão lançadas três novas cultivares de leguminosas forrageiras recomendadas para formação de pastagens cultivadas consorciadas e para sobressemeadura em pastagens naturais na região sul do Brasil. As três cultivares foram desenvolvidas a partir de um convênio firmado entre a Embrapa, a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), e a Associação Sul-brasileira para o Fomento de Pesquisa em Forrageiras (Sulpasto).

Uma das cultivares que serão lançadas é a BRS URS Entrevero de trevo-branco. A cultivar é recomendada para sobressemeadura em campos naturais e consórcios com gramíneas forrageiras de inverno em áreas mais baixas, planas e com bom teor de umidade. Já a cultivar URS BRS Posteiro de cornichão é recomendada para sobressemeadura em campos naturais e consórcios com gramíneas forrageiras de inverno em áreas mais altas e bem drenadas de toda a região sul do Brasil. A terceira cultivar, BRS Piquete de trevo-vesiculoso, também é recomendada para áreas mais altas e bem drenadas e por ser anual, pode ser mais facilmente utilizada para compor sistemas de integração lavoura-pecuária.

De acordo com o pesquisador Daniel Montardo, de modo geral, as leguminosas forrageiras, quando consorciadas com gramíneas ou sobressemeadas em campos naturais, incrementam a qualidade dessas pastagens por possuírem boa digestibilidade e elevados teores de proteína. Além disso, através da simbiose com bactérias do gênero Rhizobium, fixam nitrogênio atmosférico, reduzindo a necessidade de adubações nitrogenadas com o passar do tempo.


Embrapa
Fonte Embrapa 27/08/2014 ás 15h

Compartilhe

Tecnologias para pecuária serão apresentadas em evento