Representantes e sacerdotes de todos os credos discutem na Rio+20 intolerância religiosa e ações sustentáveis

Fonte Agência Brasil 12/06/2012 às 22h

 

Rio de Janeiro – Preocupados com o crescente número de vítimas de intolerância religiosa, representantes do Centro de Articulação de Populações Marginalizadas (Ceap) e da Expo Religião buscam soluções para uma convivência mais respeitosa entre pessoas de crenças diferentes. Eles discutirão, na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), que começa amanhã (13), na capital fluminense, ações que visam a um mundo menos injusto e a soluções para os problemas referentes ao meio ambiente.

A abertura das atividades da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa, que está prevista para hoje (13), no Riocentro, na Barra da Tijuca, reunirá representantes e sacerdotes de todas as religiões e personalidades que apoiam o desenvolvimento sustentável.

De acordo com o conselheiro estratégico do Ceap e interlocutor da comissão, Ivanir dos Santos, serão colocadas em pauta propostas que servirão de referência para o combate à intolerância religiosa no Brasil e no mundo. “Esse debate para a sociedade tem a ver com a democracia. A intolerância geralmente é uma semente do pacífico. Isso é muito ruim para a sociedade, porque, hoje, você persegue grupos religiosos e amanhã você supre a liberdade de imprensa. A liberdade é um dos pilares fundamentais da sociedade moderna”, disse.

Para Santos, as religiões tradicionais sempre tiveram uma harmonia com a natureza, além de exercer um papel importante na sociedade. Ele defende que cada segmento deva trabalhar pelos temas propostos pela Rio+20 e mostrar seus compromissos por um mundo melhor.

“A questão da discussão é a sustentabilidade. Nada é mais sustentável do que as religiões tradicionais. As religiões tradicionais sempre tiveram uma interna harmonia com a natureza. Elas compreendem que o homem faz parte da natureza. Toda a vez que você cria problemas de exploração da natureza, obviamente está degradando aquilo que é sagrado para esse conjunto de religiões”, destacou.

O encontro contará ainda com a presença de organizadores e membros da Cúpula dos Povos, evento da sociedade civil paralelo à conferência das Nações Unidas (ONU), que ocorrerá entre os dias 15 e 23 de junho, no Aterro do Flamengo. As atividades da comissão vão até o próximo domingo (17), quando ocorrerá uma manifestação popular contra a intolerância religiosa.

Agência Brasil
Fonte Agência Brasil 12/06/2012 ás 22h

Compartilhe

Representantes e sacerdotes de todos os credos discutem na Rio+20 intolerância religiosa e ações sustentáveis