Parceria do Internato Rural de Nutrição com Escola de Arquitetura cria casa de cultura em comunidade quilombola

Fonte UFMG 24/09/2013 às 17h

O Internato Rural de Nutrição em Conceição do Mato Dentro (MG) firmou parceria com a Escola de Arquitetura para criação de uma casa de cultura na comunidade quilombola de Candeias.

De acordo com o coordenador do Internato no município, professor José Divino Lopes Filho, os estudantes do curso de Nutrição da Escola de Enfermagem atuam, desde 2008, na Escola Municipal José do Patrocínio Candeias, que, por estar localizada em área quilombola, recebe recursos diferenciados para prover a alimentação escolar. “Esta atividade fez com que, com o passar dos anos, o internato se envolvesse com outras demandas da comunidade, comprometidas com a qualidade de vida e geração de renda. A partir desta integração, novas ambições sociais surgiram, entre elas a construção de sede social para abrigar a Associação do Moradores”, explica.

O professor enfatiza que a partir de reuniões locais definiu-se pela criação de uma casa de cultura que abrigasse três demandas da comunidade: espaço de confraternização e mobilização social; espaço de referência para romeiros que participam da festa religiosa local; e espaço de geração de renda, por meio de uma pequena pousada que possa receber turistas interessados nas belezas naturais da região. Com base nesta demanda, equipe da Arquitetura desenvolveu o projeto, apresentado à comunidade de Conceição de Mato Dentro no início deste mês.

O professor Flávio Carsalade, da Escola de Arquitetura, informa que a área construída é de 400 metros quadrados, com 10 apartamentos para seis pessoas cada, salão multiuso com capacidade para 60 pessoas com cozinha aberta para o salão, varanda e pátio descoberto. "A imagem geral do projeto busca se adequar aos aspectos construtivos locais como o telhado de barro, a estrutura em madeira e as alvenarias caiadas com janelas também em madeira. O uso de cores variadas pretende criar um clima de alegria e festa no local." Carsalade ressalta também que a opção pela construção em três níveis visa a adaptar o prédio novo à topografia do terreno e deixar boa área de sobra para projetos de plantio.

O professor José Divino destaca ainda que o projeto arquitetônico foi aprovado pela comunidade e os projetos estrutural e hidráulico estão sendo providenciados. "O custo da obra é estimado em R$ 450 mil, que deverão ser captados pela prefeitura local. Se todas as etapas forem cumpridas nos próximos meses, as obras deverão se iniciar após a próxima estação chuvosa na região, visto que o acesso à comunidade torna-se muito difícil neste período", explicou.

UFMG
Fonte UFMG 24/09/2013 ás 17h

Compartilhe

Parceria do Internato Rural de Nutrição com Escola de Arquitetura cria casa de cultura em comunidade quilombola