Papa condena Holocausto e fala de ´horror nazista´

Fonte Ansa Flash. 27/01/2010 às 10h

O papa Bento XVI afirmou que o "horror nazista" recorda aos cristãos sobre o respeito à vida no Dia Internacional de Comemoração em Memória das Vítimas do Holocausto.

Saudando os fieis presentes na audiência de hoje em alemão, sua língua nativa, o Pontífice disse que os atos da Alemanha nazista, em particular os dirigidos contra o povo judeu, são "crimes de inaudita crueldade".

Bento XVI invocou "Deus onipotente" com o objetivo de iluminar "os corações e as mentes, para que não se repitam tais tragédias".

Calcula-se que milhões de hebreus tenham sido assassinados no episódio que ficou conhecido como Holocausto, ocorrido durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

Em seu discurso, o Papa pediu que a memória desse acontecimento "suscite um sempre mais convicto respeito à dignidade de cada pessoa, para que todos os homens se percebam uma só grande família".

Joseph Ratzinger contou que há 65 anos, em 27 de janeiro de 1945, abriram-se os portões do campo de concentração de Auschwitz, na cidade polonesa de Oswiecim, e as pessoas ali presas foram libertadas.

"Tal evento e os testemunhos dos sobreviventes revelaram ao mundo o horror dos crimes de inaudita crueldade cometidos nos campos de extermínio criados pela Alemanha nazista", explicou Bento XVI.

O Papa afirmou que o Dia Internacional de Comemoração em Memória das Vítimas do Holocausto recorda "todas as vítimas daqueles crimes, especialmente da aniquilação planejada dos judeus, e em honra de quantos, em risco das próprias vidas, protegeram os perseguidos, opondo-se à loucura homicida".

O Pontífice, "com alma comovida", dedicou seu pensamento "às inumeráveis vítimas de um ódio racial e religioso cego, que causou deportação, prisão e morte naqueles lugares aberrantes e desumanos".

Ansa Flash.
Fonte Ansa Flash. 27/01/2010 ás 10h

Compartilhe

Papa condena Holocausto e fala de ´horror nazista´