OMS não tem evidências sobre uso de armas químicas na Síria

Fonte Ansa flash 20/03/2013 às 9h

O comandante das forças da Otan, por sua vez, disse que o organismo está pronto para intervir na Síria se a medida for aprovada pelo Conselho de Segurança da ONU

GENEBRA E BEIRUTE, 20 MAR (ANSA) - A Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou não ter evidências de que armas químicas estejam sendo usadas na Síria "ou qualquer outro agente químico", como destacou o porta-voz da organização, Tarik Jasarevic.

O governo da Grã-Bretanha anunciou ontem que o uso de armas químicas no país, se confirmado, vai provocar uma "resposta enérgica" da comunidade internacional.

Os Estados Unidos também expressaram "preocupação" com o ataque. "O uso de armas químicas na Síria é absolutamente inaceitável", declarou o porta-voz do governo dos Estados Unidos, Jay Carney.

O comandante das forças da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), o almirante James Stavridis, por sua vez, disse que o organismo está pronto para intervir na Síria se a medida for aprovada pelo Conselho de Segurança (CS) da Organização das Nações Unidas (ONU).

"A situação na Síria vai de mal a pior; cerca de 70 mil mortos, um milhão de refugiados fora do país e pelo menos 2,5 milhões de pessoas deslocadas, sem previsão, até o momento, do fim da brutal guerra civil", destacou no Senado norte-americano.

Pelo menos cinco mísseis disparados do território sírio atingiram o Líbano hoje, informaram autoridades locais. Nenhuma vítima foi registrada.

Os projéteis caíram nas proximidades de Qasr, na fronteira com a região síria de Homs, onde estão acontecendo enfrentamentos entre as forças leais a Bashar al-Assad e grupos rebeldes.

Ansa flash
Fonte Ansa flash 20/03/2013 ás 9h

Compartilhe

OMS não tem evidências sobre uso de armas químicas na Síria