Obras no Centro de Formação Olímpica

Fonte Brasil 2016 11/07/2015 às 23h

Obras no Centro de Formação Olímpica

Estrutura terá capacidade para treinos e competições de 26 modalidades olímpicas

Depois de ter a primeira etapa da obra entregue em dezembro de 2014, o Centro de Formação Olímpica (CFO), em Fortaleza, está praticamente concluído. Localizado em frente à Arena Castelão, palco de seis jogos da Copa do Mundo de 2014, e interligado ao estádio por uma passarela, o local receberá um evento em setembro, com a realização da fase nacional dos Jogos Escolares da Juventude (etapa de 12 a 14 anos).

“Hoje a obra gira em torno de 91% de execução. Estamos fazendo os acabamentos e concluindo a instalação do ar condicionado. Depois iremos concluir o piso do ginásio principal, a instalação das cadeiras retráteis e os acabamentos nos camarotes, nas salas e na parte de instalações elétricas e hidráulicas”, afirma o engenheiro e superintendente da obra, Waldemar Biselli.

O centro já tem parte das instalações concluídas, como os alojamentos, com capacidade para receber 248 atletas, uma pista de skate (já aberta à população), as piscinas de natação e saltos ornamentais, a pista de atletismo e o ginásio de treinamento, para esportes como judô, tênis de mesa, levantamento de peso, boxe, esgrima, ginástica artística, basquete e futsal. Ao todo, a estrutura terá capacidade para treinos e competições de 26 modalidades olímpicas, além de skate, karatê e futsal.

“O CFO vai mudar totalmente a realidade do esporte cearense e do Nordeste”, diz o secretário de Esporte do Ceará, Jeová Mota. Segundo ele, estão em desenvolvimento projetos para a formação de atletas no local e para o uso das escolas profissionalizantes do estado para a capacitação de novos técnicos.

 

Aclimatação

A expectativa é que o centro seja um importante núcleo durante o período de aclimatação para os Jogos Olímpicos de 2016. “Já recebemos uma delegação do Japão e também uma do Brasil, que estão avaliando a possibilidade de fazerem aqui uma preparação para as Olimpíadas. Em agosto o Japão deve concretizar o pedido”, conta o secretário. “Estamos fazendo também um trabalho de informação a vários países que virão para os Jogos e que precisam de um clima como o nosso durante a temporada de inverno deles”, acrescenta. Mota espera ainda que o CFO receba a tocha olímpica durante o percurso até o Maracanã.

A obra

Com cerca de 130 mil metros quadrados de área construída, o Centro de Formação Olímpica integra a Rede Nacional de Treinamento e está entre os principais legados que serão deixados à região Nordeste pela realização dos Jogos de 2016. A obra é uma parceria do governo do Ceará com o governo federal do Brasil por meio do Plano Brasil Medalhas. Conta com financiamento de R$ 207 milhões da União e R$ 19,8 milhões do governo do estado. Há ainda um acréscimo de R$ 19 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e de R$ 3 milhões do estado para a instalação do ar condicionado.

O local conta com campo, pista de atletismo, piscina olímpica, tanque para saltos ornamentais, pista de skate, quadras de tênis e de vôlei de praia, academia, refeitório, alojamentos, um edifício com salas de treinamento para diversas modalidades e um ginásio principal climatizado com capacidade para receber até 21 mil pessoas, além de um anel de lanchonetes.

A obra teve início em agosto de 2013 e tem estrutura para a prática de atletismo, natação, badminton, nado sincronizado, basquete, pentatlo moderno, boxe, rúgbi, ciclismo, tênis, handebol, taekwondo, esgrima, tênis de mesa, futebol, tiro com arco, ginástica, triatlo, levantamento de peso, voleibol, hóquei sobre grama, vôlei de praia, judô, polo aquático, lutas, saltos ornamentais, futsal e caratê.

“Todos esses equipamentos serão certificados pela confederação nacional e pela federação internacional das modalidades”, explica Waldemar Biselli, acrescentando que a piscina do CFO é do modelo Myrtha, de fabricação italiana, utilizado nos Jogos Olímpicos de Londres e considerado o mais moderno do mundo.
Certificação LEED

O Centro de Formação Olímpica está em busca da certificação Leadership in Energy and Environmental Design (LEED). Para isso, adotou alguns modelos de cuidados com o meio ambiente e sustentabilidade, como o fechamento do canteiro de obras por tapumes que impedem que poeira e sedimentos sejam levados às ruas. Próximo ao prédio principal há um reservatório para a captação de água da chuva, com capacidade de 628 m³, que irá abastecer as áreas paisagísticas e os banheiros, representando uma economia de 50% no uso de água.

Outras ações dizem respeito ao consumo de energia, que terá uma redução mínima de 10% ao ano com a utilização de equipamentos de iluminação e condicionadores de ar mais econômicos e com automação programada, além da instalação de placas solares. Já os materiais orgânicos do solo serão reaproveitados nas áreas verdes.

Brasil 2016
Fonte Brasil 2016 11/07/2015 ás 23h

Compartilhe

Obras no Centro de Formação Olímpica