Nanociência: Rede SPM é renovada e lança site

Fonte MCT. 26/12/2009 às 9h

Desde 2005 o Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LNLS/MCT) e o Centro de Biologia Molecular (CeBiME) administram e coordenam as atividades da Rede Brasileira de Microscopia de Varredura por Sondas (Rede SPM Brasil), criada para promover soluções e melhorias aplicadas ao estudo de materiais e sistemas biológicos em escala nanométrica, utilizando-se de Microscopia de Varredura por Sonda - SPM (do inglês Scanning Probe Microscopy). Agora, quem quiser saber mais sobre a Rede tem à disposição o endereço www.redespm.org.br.

Hoje, formada por 11 grupos de pesquisa distribuídos em nove instituições, a Rede tem quatro objetivos principais: a consolidação de novos grupos; a multidisciplinariedade de projetos; a formação de recursos humanos e o desenvolvimento de instrumentação científica específica para problemas pontuais. Para a sua formação foram concedidos, via edital do CNPq/MCT, recursos da ordem de R$ 2,8 milhões distribuídos em custeio, bolsas de estudo e de capacitação e compra de equipamentos (cada grupo recebeu uma estação de trabalho e sistema de controle básico para a construção de microscopia própria).

Após ter passado pela fase de prospecção, compra de equipamentos, desenho e desenvolvimento dos microscópios, hoje a Rede vivencia a fase de testes, pela qual projetos científicos são desenvolvidos. Para este momento – que culmina com acréscimo no financiamento do CNPq e prorrogação das atividades - a SPM Brasil passou a ter a coordenação científica do professor Ado Jorio, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG),  que este ano foi agraciado com o prêmio Scorpus Brasil, da Elsevier/Capes, por sua expressiva produção científica. Jorio une-se aos pesquisadores Gilberto Medeiros Ribeiro, do LNLS, e Ana Carolina Zeri, do CeBiME, que permanecem como coordenadores administrativos da Rede. 

 

MCT.
Fonte MCT. 26/12/2009 ás 9h

Compartilhe

Nanociência: Rede SPM é renovada e lança site