Mulher desiste de processar presidente do Paraguai por paternidade

Fonte Ansa Flash. 03/02/2010 às 12h

O juiz da Infância e da Adolescência Osvaldo Cáceres informou hoje que Hortensia Damiana Morán, autora da terceira denúncia de paternidade contra o presidente do Paraguai, Fernando Lugo, desistiu da demanda.

Morán, de 40 anos, é a segunda mulher a apresentar um pedido de desistência em dois meses. Em dezembro, Benigna Leguizamón já havia tomado a mesma decisão.

O magistrado, entretanto, não quis divulgar os motivos que levaram a mulher a deixar de lado a demanda que envolve o filho de dois anos, chamado Juan Pablo. Há a expectativa de que ela tenha chegado a um acordo com o presidente para fazer um teste de paternidade.

Contudo, segundo o jornal local ABC, o advogado de Lugo, Marcos Fariña, disse que ainda não havia sido informado de qualquer acordo.

Até hoje, o presidente paraguaio reconheceu apenas a paternidade de Guilhermo Armindo, nascido em 2007 de uma relação com Viviana Carrillo.

Hortensia Damiana Morán é professora de uma creche e trabalhou na campanha que levou Lugo à presidência, em 2008.

O chefe de Estado, que foi bispo católico antes de chegar ao poder, foi acusado recentemente por uma sobrinha de ser o pai também de uma jovem de 22 anos que se casou em novembro. O presidente assistiu à cerimônia. 

Ansa Flash.
Fonte Ansa Flash. 03/02/2010 ás 12h

Compartilhe

Mulher desiste de processar presidente do Paraguai por paternidade