MS reforça programa Melhor em Casa em Maceió

Fonte Agência Saúde – ASCOM/MS 11/06/2012 às 21h

Ação permite que pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) recebam visita das equipes multiprofissionais em casa

O secretário de Atenção à Saúde, Helvécio Magalhães, participou, nesta segunda-feira (11), em Maceió (Alagoas), de solenidade para reforçar as ações do programa Melhor em Casa, no município. Na capital alagoana, o programa já conta com duas Equipes Multiprofissionais de Atenção Domiciliar (EMAD) habilitadas e em funcionamento – até 2014 deverão chegar a nove – e uma Equipe Multiprofissional de Apoio (EMAP). O objetivo é qualificar o atendimento domiciliar de pessoas com necessidade de reabilitação motora, idosos, pacientes crônicos sem agravamento ou em situação pós-cirúrgica. Esses pacientes recebem assistência multiprofissional gratuita em seus lares, com cuidados mais próximos da família. A ação integra a Rede Saúde Toda Hora, que está reorganizando os serviços de urgência e emergência do país.

O Melhor em Casa também representa avanços para a gestão de todo o sistema público de saúde, já que ajuda a desocupar os leitos hospitalares, proporcionando um melhor atendimento e regulação dos serviços de urgência dos hospitais. Para o secretário, o programa é uma alternativa eficaz e humanizada para atender pacientes que não precisam permanecer na internação dos hospitais. “Não se resolve o problema da superlotação dos hospitais sem intervir com a criação de leitos de retaguarda, de UPAs e investimento na atenção domiciliar”, avaliou Helvécio Magalhães.
Também participaram da solenidade o Coordenador da Atenção Domiciliar do Ministério da Saúde, Aristides Oliveira, o secretário municipal de saúde de Maceió, Adeilson Loureiro Carvalho, o presidente do Conselho de Secretários Municipais de Saúde (COSEMS) de Alagoas, Pedro Erna Madeiro, e o presidente da Câmara Municipal de Maceió, Galba Novaes.

O PROGRAMA – O Melhor em Casa propõe o cuidado multiprofissional, objetivando o aumento da rotatividade dos leitos hospitalares, a qualificação e humanização do cuidado, no conforto do domicílio e perto da família.

As equipes que atendem pelo programa são formadas prioritariamente por médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem e fisioterapeuta ou assistente social. Outros profissionais como fonoaudiólogo, nutricionista, terapeuta ocupacional, odontólogo, psicólogo e farmacêutico, além de fisioterapeuta e assistente social poderão compor as equipes de apoio. Cada equipe poderá atender, em média, 60 pacientes, simultaneamente.

O Melhor em Casa também ajuda a reduzir as filas nos hospitais de emergência, já que a assistência, quando há a indicação médica, passa a ser feita na própria residência do paciente, desde que haja o consentimento da família. No Brasil, o programa já está presente em 18 estados beneficiando a população de 58 municípios. Ao todo, são 264 EMADs e 104 EMAPs habilitadas para prestar atendimento domiciliar.

O Ministério da Saúde custeia as equipes principais com o valor de R$ 34.560,00 mil mensais e R$ 6 mil por equipe de apoio. Até 2014, o investimento total para todo o país chegará a R$ 1 bilhão para implantação de mil equipes de Atenção Domiciliar e outras 400 equipes de apoio. Os pacientes são atendidos por equipes multidisciplinares durante toda a semana (de segunda a sexta-feira), 12 horas por dia e, podendo ser em regime de plantão, nos finais de semana e feriados.

Agência Saúde – ASCOM/MS
Fonte Agência Saúde – ASCOM/MS 11/06/2012 ás 21h

Compartilhe

MS reforça programa Melhor em Casa em Maceió