Ministério do Interior analisa ´falhas´ que possibilitaram ataque contra Berlusconi

Fonte Ansa Flash. 14/12/2009 às 14h

O ministério, a prefeitura e a Polícia de Milão buscam esclarecer quais foram as brechas do aparato de segurança, que não impediu a agressão contra Berlusconi.

O ministro do Interior, Roberto Maroni, junto a autoridades política e policial, realiza hoje na sede da prefeitura de Milão um "relatório detalhado e completo" sobre a agressão sofrida ontem pelo primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi.

Maroni já chegou à prefeitura de Milão, onde se reúne com a prefeita da cidade, Letizia Moratti, e o chefe da Polícia local, Vincenzo Indolfi.

O principal tema do encontro é detectar as "falhas" do dispositivo voltado para a segurança do premier, que no último fim de semana não impediu que ele sofresse uma agressão.

Na tarde de ontem, após comício de seu partido, o Povo da Liberdade (PDL), em uma praça de Milão, Berlusconi foi atingido por um objeto lançado por Massimo Tartaglia, um homem de 42 anos que teria problemas psiquiátricos.

O objeto -- uma miniatura do Duomo (catedral) de Milão -- atingiu o rosto do premier, causando fraturas no nariz, em dois dentes e um corte no lábio superior.

Para políticos e autoridades de centro-direita, o aparato de segurança "foi ineficiente", embora as autoridades locais já tivessem ampliado o número de efetivos antes da agressão.

A prefeita de Milão, por sua vez, pediu cautela, "porque violência chama violência, por isso, devemos responder com paciência e serenidade".

"As praças devem ser um local de democracia, onde as pessoas devem ter o direito de expressar suas ideias. Gestos baixos como estes devem ser condenados com firmeza", completou Moratti.

Após a reunião, o ministro do Interior deverá falar com a imprensa. Berlusconi se recupera no hospital San Raffaele, em Milão, onde passou a noite de ontem.

Ansa Flash.
Fonte Ansa Flash. 14/12/2009 ás 14h

Compartilhe

Ministério do Interior analisa ´falhas´ que possibilitaram ataque contra Berlusconi