México: EUA elogiam operação que matou chefe do cartel Beltrán Leyva

Fonte Ansa Flash 18/12/2009 às 13h

Os Estados Unidos elogiaram o México pela luta contra o tráfico de drogas, referindo-se especialmente à morte de Arturo Beltrán Leyva, chefe do cartel homônimo e um dos maiores do país.

O embaixador norte-americano no México, Carlos Pascual, disse, em um comunicado, que o falecimento do narcotraficante mostra o "forte impacto" das estratégias de segurança e reiterou o compromisso de Washington de cooperar com o governo do presidente Felipe Calderón.

Beltrán Leyva "era responsável por alguns dos mais cruéis atos de violência na história recente do país e dirigiu importantes redes para introduzir e distribuir droga, que literalmente puseram toneladas de cocaína nas ruas dos Estados Unidos", comentou o diplomata.

Arturo Beltrán Leyva, de 47 anos, e alguns de seus capangas morreram na noite da última quarta-feira em uma operação realizada pela Marinha mexicana na cidade de Cuernavaca, localizada a 75 quilômetros da capital do país, Cidade do México.

Os Estados Unidos acusam o cartel Beltrán Leyva de introduzir no país 200 toneladas de cocaína e grande quantidade de heroína nas últimas duas décadas.

Em agosto, o governo norte-americano definiu o grupo como uma organização criminosa, para que pudesse congelar seus bens e facilitar a prisão de seus membros.

"A operação de sucesso demonstra a determinação do México e sua crescente capacidade de debilitar os cartéis de droga que ameaçam a segurança e o bem-estar de seus cidadãos", destacou o embaixador.

O combate ao narcotráfico é uma das principais bandeiras do governo de Calderón. Para isto, o México conta com a ajuda dos Estados Unidos. Em 2008, ambos países firmaram a Iniciativa Mérida, acordo que prevê que Washington disponibiliza US$ 1,4 milhão ao longo dos próximos três anos para investimentos no combate aos cartéis de drogas.

Ansa Flash
Fonte Ansa Flash 18/12/2009 ás 13h

Compartilhe

México: EUA elogiam operação que matou chefe do cartel Beltrán Leyva