Método inovador para o tratamento da apneia do sono

Fonte Imagem Corporativa 31/08/2014 às 12h
Os casos graves da doença podem causar hipertensão arterial, acidente vascular encefálico, infarto agudo do miocárdio e morte súbita.



Pessoas que roncam são, normalmente, alvos de piadas e críticas. Porém, este não é um hábito comum e saudável. O ronco deve ser considerado como um alerta do corpo de que há alguma interferência na passagem do ar. O estreitamento da via aérea do sistema respiratório pode fazer com que a pessoa fique sem respirar por um momento durante o sono. Ou seja, o oxigênio não consegue chegar aos pulmões até que o indivíduo desperte e volte a respirar. Este fato pode se repetir várias vezes, levando à Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono.



O otorrinolaringologista e cirurgião, Bruno Loredo, do Hospital Santa Luzia (HSL), em Brasília, explica que a apneia leva à uma série de consequências graves no organismo. “A diminuição gradual da oxigenação no sangue pode causar hipertensão arterial, acidente vascular encefálico, infarto agudo do miocárdio, morte súbita e outros problemas. Além disso, o paciente não consegue ter um sono reparador, se sentindo sempre cansado e indisposto.”



Com o objetivo de melhorar a qualidade de vida do paciente e otimizar o tratamento da apneia obstrutiva do sono, o HSL realiza cirurgias para regular a doença. “O procedimento, conhecido como avanço maxilomandibular para síndrome da apneia do sono, consiste em aumentar o canal respiratório da pessoa, local que interrompe a passagem do ar, melhorando as apneias e corrigindo as obstruções”, detalha Dr. Bruno.



Para a indicação correta do melhor procedimento, o paciente deve ser avaliado por um otorrinolaringologista especializado em cirurgia craniomaxilofacial. “A apneia pode ser causada por outras obstruções, como desvio de septo, tamanho anormal das amígdalas e alteração no posicionamento da língua. Exames específicos devem ser feitos para identificar o real motivo do problema, para indicação do melhor tratamento”, alerta o médico.



A cirurgia de avanço maxilomandibular apresenta excelentes resultados, melhorando a qualidade do sono e da vida do paciente. “Os tratamentos tradicionais da doença consistem na utilização de aparelhos que facilitam a respiração, o que causa muito incômodo e não cura a patologia. Já a cirurgia, é um método eficaz que modifica a morfologia e a estrutura do paciente, curando a apneia”, conclui o especialista.
Imagem Corporativa
Fonte Imagem Corporativa 31/08/2014 ás 12h

Compartilhe

Método inovador para o tratamento da apneia do sono