Mais Alimentos responde por 80,7% das vendas de tratores de até 78 CV em 2009

Fonte Agência Brasil. 13/01/2010 às 12h

A modernização da infraestrutura produtiva das unidades familiares promovida pelo Programa Mais Alimentos, do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), foi responsável por 80,7% do total de vendas de motocultivadores e tratores de 11 CV a até 78 CV efetuadas pela indústria brasileira em 2009. De cada cinco tratores incluídos nesta faixa de potência produzidos no período, quatro foram comercializados por meio do Programa.

Entre janeiro e dezembro de 2009, foram vendidos e entregues 17.410 unidades por meio da linha de crédito do Mais Alimentos, o que corresponde a 38,3% do total de vendas do setor (inclui todas as potências). Os números da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) apontam que o Mais Alimentos promoveu uma mudança no mix da produção industrial. Em relação a 2008, a participação na produção total da indústria de motocultivadores e tratores de até 78 CV, objeto do Programa, avançou de 33% para 48%.

Além disso, o Mais Alimentos fechou 2009 respondendo por 32% dos empregos do setor, com 1.667 ocupações diretas em um universo de 5.209 postos de trabalho.

O ministro do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel, afirma que os números demonstram que a parceria entre os agricultores familiares, a indústria e o governo deu certo. “O Programa é um sucesso. Os resultados contribuem para tornar o Mais Alimentos um programa permanente do governo federal, o que vai aumentar a produtividade  e a renda do homem do campo e colocar mais e melhores alimentos na mesa de todos os brasileiros, ressalta o ministro.

Modernização da infraestrutura

De setembro de 2008 a dezembro de 2009, 21.540 motocultivadores e tratores de até 78 CV foram vendidos em todo o País por meio do Mais Alimentos. Isso corresponde, em média, a 1,34 mil novos equipamentos/mês.

O Mais Alimentos, criado no Plano Safra da Agricultura Familiar 2008/2009, é uma linha de crédito específica do Pronaf que financia investimentos em infraestrutura para melhorar e aumentar a produção da propriedade rural familiar. O Programa financia projetos de até R$ 100 mil, com prazo de pagamento de até dez anos, até três anos de carência e juro de 2% ao ano. A linha de crédito também permite ao agricultor familiar investir na aquisição de máquinas e implementos agrícolas, correção e recuperação de solos, resfriadores de leite, melhoria genética, irrigação, implantação de pomares e estufas e armazenagem.

Agência Brasil.
Fonte Agência Brasil. 13/01/2010 ás 12h

Compartilhe

Mais Alimentos responde por 80,7% das vendas de tratores de até 78 CV em 2009