Judoca Mayra Aguiar conquista ouro no Mundial da Rússia

Fonte Brasil 2016 30/08/2014 às 11h
Nesta sexta-feira (29), quinto dia de disputas no Campeonato Mundial da Rússia, disputado na cidade de Chelyabinsk, o Brasil finalmente chegou ao lugar mais alto do pódio, com Mayra Aguiar fazendo história na categoria 78kg.

Nascida em Porto Alegre, em 3 de agosto de 1991, medalha de bronze nos Jogos Olímpicos de Londres 2012 e até a final desta sexta-feira dona de três medalhas em Mundiais — prata em Tóquio 2010 e bronze no Rio de Janeiro 2013 e em Paris 2011 — Mayra Aguiar superou, na final do Mundial em Chelyabinsk, a francesa Audrey Tcheumeo, campeã mundial em 2011 e bronze nos Jogos de Londres-2012, que na semifinal havia derrotado a campeã mundial de 2013, a norte-coreana Kyong Sol. Mayra já tinha enfrentado Tcheumeo quatro vezes e triunfado em três ocasiões.

No quinto combate entre as duas, em uma das lutas importantes de sua vida, Mayra Aguiar aplicou um wazari a 2min20 do fim do combate e, depois, administrou a vantagem para brilhar na Rússia, conquistar seu primeiro ouro em Mundiais e entrar para a história como apenas a segunda judoca do Brasil campeã do mundo no adulto. Antes dela, Rafaela Silva abriu o caminho, no ano passado, no Rio de Janeiro.

O triunfo de Mayra Aguiar na Rússia teve vários significados marcantes. Apenas em meados de julho deste ano, Mayra retornou às competições, depois de um longo período fora dos tatames para se recuperar de uma série de intervenções cirúrgicas. A medalhista olímpica em Londres-2012 não competia desde o Campeonato Mundial de 2013, por conta de duas cirurgias, uma no joelho direito e uma no cotovelo esquerdo.

Em seu retorno, no Grand Slam de Tyumen, coincidentemente também na Rússia, Mayra, que tinha voltado aos treinos somente três meses antes, conquistou a medalha de ouro e deixou claro que estava plenamente recuperada e pronta para disputar o Mundial em Chelyabinsk.

“Muito bom poder viver esses momentos outra vez”, comemorou Mayra, após a conquista em Tyumen. “Depois de oito meses de cirurgia, não poderia ter um retorno melhor às competições. A caminhada foi dura e teve dias muito difíceis, mas foi para viver esses momentos que eu não desisti. Muito obrigada a todos que tornaram isso possível. A luta continua”, declarou, à época. De fato, a luta continuou e reservou à gaúcha um dos episódios mais marcantes de sua carreira nesta sexta-feira.

No caminho até a final no Mundial da Rússia , Mayra Aguiar passou sem problemas pela italiana Assunta Galeone. Nas oitavas de final, a brasileira enfrentou a espanhola Laia Talarn e novamente soube se impor e avançou para as quartas de final após aplicar um wazari e um yuko. Na luta por uma vaga na semifinal, Mayra Aguiar se deparou com a russa Alena Kachorovskaya. E com mais uma boa exibição, a judoca do Brasil dominou a pegada, o que fez com que a rival fosse punida duas vezes logo no primeiro minuto. Apesar da vantagem, Mayra manteve a agressividade e aplicou um belo ippon. Com isso, avançou com muita confiança à semifinal, onde deparou-se com uma velha conhecida.

Na semifinal, Mayra Aguiar enfrentou uma rival de altíssima categoria: a norte-americana Kayla Harrison, campeã olímpica em Londres 2012 e campeã mundial em 2010. Antes do combate desta sexta-feira, as duas tinham se enfrentado 11 vezes e Harrison levava vantagem, com seis vitórias contra cinco derrotas.

Ignorando o peso da rival e o retrospecto levemente desfavorável (mas marcado por uma derrota inesquecível, nos Jogos Olímpicos de Londres 2012), Mayra Aguiar, desde o início da luta, tomou a iniciativa e mostrou-se bastante agressiva. Já nos primeiros 30 segundos, a brasileira saiu na frente com um yuko e ainda no primeiro minuto aplicou um wazari. No decorrer do combate, Mayra manteve-se concentrada e, assim, com a vantagem obtida no começo da luta, triunfou e carimbou sua vaga para a final, onde mais uma vez teve uma atuação brilhante para conquistar o primeiro título mundial da carreira.

Tiago Camilo e Bárbara Timo fora do pódio

Bárbara Timo (70kg) foi a primeira brasileira a entrar no tatame nesta sexta-feira. E fez sua primeira luta da história em Mundiais muito bem: com menos de um minuto, superou a sul-coreana Hye Jin Jeong por ippon e classificou-se para as oitavas de final, onde enfrentou uma oponente de muita experiência: a colombiana Yuri Alverar, bicampeã mundial.

A brasileira, de 23 anos, começou bem e conseguiu um yuko com um minuto e meio de luta. Em vantagem, Bárbara Timo tentou administrar o placar e acabou sendo penalizada três vezes. Nervosa com a possibilidade de receber uma nova punição, o que ocasionaria a eliminação, a brasileira, a 20 segundos para o fim do confronto, recebeu um wazari e viu a rival passar à frente no placar para vencer a luta e eliminá-la do Mundial da Rússia.

Para Tiago Camilo, a sexta-feira não foi boa. Campeão mundial em 2007, o brasileiro enfrentou o sérvio Dmitri Gerasimenko na estreia em Chelyabinsk. Apesar de já ter vencido Dmitri em duas ocasiões, Tiago não conseguiu encaixar a pegada e foi projetado por yuko com cerca de dois minutos de combate. O brasileiro passou o resto da luta buscando aplicar um golpe que pudesse reverter a desvantagem, mas Dmitri Gerasimenko, penalizado duas vezes por falta de combatividade, soube segurar a vantagem até o fim e eliminou Tiago do Mundial da Rússia.

“Ele conseguiu pontuar no primeiro minuto de luta e depois bloqueou minha pegada. Não tive como reverter a situação. Fico muito triste por ter perdido na primeira luta e mais ainda por não ter feito o que tinha traçado: buscar uma medalha”, lamentou Tiago Camilo, duas vezes medalhista olímpico: Prata na categoria 73kg, em Sydney 2000; e bronze na categoria 81kg, em Pequim 2008.


Brasil 2016
Fonte Brasil 2016 30/08/2014 ás 11h

Compartilhe

Judoca Mayra Aguiar conquista ouro no Mundial da Rússia