Jovem diplomata brasileiro lança livro de contos sobre memória e desajuste, solidão e renascimento

Fonte Virta Comunicação Corporativa 29/03/2015 às 14h

 O que não existe mais, lançado pela Tordesilhas, traz o novo olhar
de um autor estreante combinado à elegância de uma linguagem
pautada na rica tradição da literatura brasileira.

FICHA TÉCNICA:

Título: O que não existe mais

Autora: Krishna Monteiro

Formato: 14 x 19 cm

Edição: 1ª, 2015

Nº de Páginas: 112

Acabamento: miolo P&B; capa flexível com orelhas

ISBN: 978-85-8419-027-0

Preço: R$ 27,00

Editora: Tordesilhas

www.tordesilhas.com.br

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E antes que seu corpo respirasse mais uma vez, ela estendeu a mão direita e pensou em mim. A mão percorre os lençóis, alcança a cabeceira, a extremidade da cama, procura por mim. Afaga minha barriga e meu pescoço, enquanto o corpo sorve com aspereza o ar, girando todo o seu peso para o canto e cuspindo tons líquidos de vermelho sobre o chão. Pálidos, seus lábios tremem. Frios, pálidos. Ela inspira, avança, me abraça.– Trecho do conto Um âmbito cerrado como um sonho, que narra o suicídio de uma mulher a partir da perspectiva inocente de seu gato de estimação.

 

Seguindo a tradição de escritores brasileiros diplomatas, como Vinicius de Moraes, Guimarães Rosa e Ruy Barbosa, Krishna Monteiro – cônsul adjunto do Brasil em Londres – lança, pela Tordesilhas, a obra O que não existe mais, com sete contos envolventes, recheados de uma linguagem poética de qualidade. Apesar de terem nascido em épocas diferentes e serem dotados de estilos distintos, todos esses autores nacionais têm algo em comum – longe da pátria amada, expressaram em suas obras um olhar distante sobre o Brasil.

Para Krishna, a ideia de escrever relatos de suas memórias surgiu durante sua experiência fora do país, longe de casa, dos amigos e de tudo aquilo que fez parte de sua vida. “Sempre quis escrever profissionalmente, mas realmente comecei a colocar as palavras no papel em 2008, quando fui para o Sudão e depois em Londres, e comecei a sentir a saudade do Brasil, isso alimentou em mim a vontade de escrever”, explica o autor. Em um lugar diferente, lançava mão de vários recursos de linguagem para não seguir uma linha lógica de pensamento e abordar a realidade de forma diferente dos padrões considerados normais, imprimindo elementos de brasilidade em seus contos. Tais textos transformaram-se em sua primeira obra: O que não existe mais.

Os temas de memória e desajuste, solidão e renascimento são explorados sob diversos ângulos, como a visão de um filho perseguido nos corredores de sua casa pela lembrança viva do pai ou da perspectiva de um pacto celebrado pelo escritor João Guimarães Rosa numa encruzilhada. Animais também ganham racionalidade quando um galo de briga, ao combater na arena, recorda toda a sua existência, e quando um gato narra os últimos momentos de sua dona, sem compreendê-los. Khrisna também leva o leitor aos pensamentos de um velho soldado que tenta sem sucesso exorcizar a guerra e explora a complexidade da mente de uma mulher que, diante da degradação e do envelhecimento, enxerga no ato de contar histórias a fonte de criação e manutenção da vida.

Sobre o autor:

Krishna Monteiro nasceu em 1973, em Santo Antônio da Platina, no Paraná, e esteve rodeado de livros desde pequeno. Depois de graduar-se em economia e obter um mestrado em ciências políticas, optou por entrar na carreira diplomática, em 2008. Foi editor de textos literários da revista Juca – diplomacia e humanidades, publicada anualmente pelo Itamaraty, e cocriador do blog Jovens Diplomatas. Em 2010, tornou-se vice-chefe de missão da embaixada brasileira no Sudão. Morando pela primeira vez em terras estrangeiras, foi tomado por lembranças de outras paisagens e cenas de infância escondidas na memória, e começou a escrever contos, em parte inspirados em sua própria história, em parte inventados, que resultaram no livro O que não existe mais. Atualmente, é cônsul adjunto do Brasil em Londres. O que não existe mais é sua estreia como escritor.

Sobre a Tordesilhas

Revisitando os clássicos com criatividade, lançando autores consagrados de tradições literárias pouco ou nada conhecidas por aqui, buscando novos talentos e disponibilizando literatura de entretenimento sem perder de vista a qualidade, a TORDESILHAS oferece um catálogo nada convencional e persegue o apuro na produção de seus livros, aparatando as edições, fixando textos com rigor, convidando especialistas e tradutores renomados. Seu compromisso é com a sensibilidade curiosa e investigativa.


       

Virta Comunicação Corporativa
Fonte Virta Comunicação Corporativa 29/03/2015 ás 14h

Compartilhe

Jovem diplomata brasileiro lança livro de contos sobre memória e desajuste, solidão e renascimento