Jayme Campos critica aumento da carga horária de médicos da rede federal de saúde

Fonte Agência Senado 06/06/2012 às 21h

Como já havia feito pela manhã na Comissão de Assuntos Sociais (CAS), o senador Jayme Campos criticou na sessão plenária desta quarta-feira (6) a Medida Provisória 568/2012, que trata da remuneração de servidores públicos federais. A MP tem causado polêmica especialmente no que diz respeito aos médicos, que podem ter a carga horária dobrada sem reajuste do valor recebido.

– Na prática, o Executivo propõe uma drástica redução no vencimento desses profissionais, cortando seus salários pela metade – explicou o senador.

Para Jayme Campos, a medida do governo vai contra a carreira dos médicos e não contribui para o avanço da medicina no país. Jayme Campos lembrou que, se a falta de equipamentos adequados nos hospitais públicos já gera dificuldades para os profissionais, a medida trará também “desconfiança e amargura” para os profissionais.

– Os médicos e os profissionais da saúde são vítimas, como os próprios pacientes, de uma política de saúde mesquinha e equivocada, capaz de promover um verdadeiro apartheid social entre ricos e pobres – criticou.

Na opinião do senador, negociar com o governo a retirada da medida provisória seria uma homenagem à categoria, que reúne “heróis e não vilões”.

Cursos

No mesmo pronunciamento, o senador elogiou a autorização, pelo Ministério da Educação, do aumento das vagas em cursos de medicina em todo o Brasil. No estado de Mato Grosso, representado pelo senador, serão implantados cursos de medicina nos polos da Universidade Federal de Mato Grosso em Sinop e em Rondonópolis.

– A notícia da abertura de novas turmas de medicina é motivo de esperança, visto que, além das vagas em si, investimentos serão feitos para garantir a formação adequada desses novos profissionais – elogiou.

Agência Senado

Agência Senado
Fonte Agência Senado 06/06/2012 ás 21h

Compartilhe

Jayme Campos critica aumento da carga horária de médicos da rede federal de saúde