Itália condena ataque contra cristãos no Egito

Fonte ANSA. 08/01/2010 às 10h

O chanceler do país, Franco Frattini, disse que a comunidade internacional precisa combater a intolerância religiosa; seis pessoas foram mortas a tiros quando saíam de uma missa de Natal

ROMA, 7 JAN (ANSA) - Autoridades italianas condenaram hoje as mortes de seis cristãos coptas que deixavam uma igreja no Egito ao término de uma missa que celebrava o Natal ortodoxo.

"A violência contra a comunidade cristã copta no Egito suscita horror e reprovação", disse o chanceler do país europeu, Franco Frattini.

"A comunidade internacional não pode permanecer indiferente nem deve baixar a guarda para a intolerância religiosa, que constitui uma gravíssima violação dos direitos humanos fundamentais", prosseguiu ele.

Frattini assegurou que a Itália "continuará a defender em todos os lugares o princípio da liberdade de culto, que é um absoluto e irrenunciável valor da civilização".

Hoje, pouco depois da meia-noite, um veículo parou diante de uma igreja em Nag Hammadi, província de Qena, sul do Egito, e homens não identificados abriram fogo contra as pessoas que estavam no local.

De acordo com as autoridades, o ataque pode ter ocorrido em represália ao estupro de uma menina muçulmana. Os coptas são minoritários no Egito, um país predominantemente muçulmano.

Em nota, o ministro italiano para as Políticas Europeias, Andrea Ronchi, ressaltou que hoje, "infelizmente, 75% das perseguições religiosas no mundo atingem comunidades cristãs".

"Estou certo de que o governo egípcio fará o máximo esforço para perseguir os responsáveis pelo crime e garantir a plena liberdade religiosa a todos os seus cidadãos, em total conformidade com a Constituição egípcia", afirma o texto.

ANSA.
Fonte ANSA. 08/01/2010 ás 10h

Compartilhe

Itália condena ataque contra cristãos no Egito