Instituto realiza mutirões para reduzir filas no RJ e no AM

Fonte Agência Saúde 25/08/2014 às 13h
Mutirões de cirurgias iniciados nesta segunda (25) seguem até sexta-feira (29) com previsão de atendimento de 125 pacientes

Com o objetivo de reduzir as filas de espera por cirurgias ortopédicas, o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia Jamil Haddad (Into) deu início nesta segunda-feira (25) a dois mutirões cirúrgicos nos estados do Rio de Janeiro e Amazonas. Os procedimentos são realizados na sede do Instituto, no Rio de Janeiro, e na Fundação Hospitalar Adriano Jorge, localizado em Manaus. A ação simultânea ocorre até sexta-feira (29) e a previsão é de 125 pacientes sejam submetidos a procedimentos de mão e de joelho.

No Rio de Janeiro, o mutirão irá atender 100 pacientes que necessitam de cirurgia de mão para o tratamento da síndrome do túnel do carpo, doença que comprime os nervos do punho e leva à perda progressiva da sensibilidade das mãos e dos dedos. “O problema acomete, principalmente, as mulheres em fase produtiva e, em 95% dos casos, é bilateral nos punhos com a necessidade do paciente retornar para operar o lado oposto. Há alta incidência de afastamento do trabalho por este problema, mas o índice de cura com a cirurgia é alto”, explica o cirurgião do Into, Anderson Monteiro.

A síndrome causa dor, com predominância noturna ou matutina, e a perda progressiva da sensibilidade da ponta dos dedos, podendo ocasionar a dormência total e permanente, se não for tratado a tempo e de forma adequada. As causas são diversas, como doenças reumáticas, diabetes e hipotireoidismo, mas a variação hormonal da mulher na menopausa é a mais frequente.

MANAUS – Na capital do Amazonas, o Into promove a 104ª ação do Projeto Suporte, que tem como objetivo levar profissionais especializados para promover cirurgias em locais com baixa oferta de serviços na área de traumatologia e ortopedia, em parceria com as secretarias de saúde dos estados e municípios, principalmente da Região Norte do país. Em 11 anos de projeto, foram realizadas 4.327 consultas, 2.281 cirurgias - em 25 estados -, além de 54 jornadas científicas e intercâmbios de ortopedia com médicos locais.

A previsão é de que até sexta-feira 25 pacientes do Estado do Amazonas sejam operados. Serão beneficiados aqueles que necessitam de artroplastia primária (para colocar a primeira prótese de joelho) e de cirurgia de revisão (para substituir o implante, um dos procedimentos mais complexos no joelho). “Esta ação foi programada para evitar o impacto da transferência de pacientes cadastrados na Central Nacional de Regulação de Alta Complexidade para o Rio de Janeiro”, afirma o coordenador do projeto, José Luiz Ramalho.

Com a parceria, as secretarias de saúde disponibilizam a estrutura hospitalar e o Into fornece todo o material para as cirurgias, como insumos, implantes e próteses. É feita a articulação com o estado solicitante e o coordenador médico segue até o local para a avaliação clínica prévia dos pacientes que serão operados, antes do embarque da equipe composta por médicos, residentes, enfermeiros e técnicos. O tratamento e a recuperação dos pacientes serão acompanhados por médicos da unidade, que também participam da ação.

AVANÇOS - Desde 2013, o Into vem adotando uma série de medidas para ampliar e acelerar o atendimento cirúrgico aos pacientes ortopédicos. As ações estão sendo realizadas em conjunto com representantes de órgãos de controle externo e interno, como Ministério Público Federal e Departamento Nacional de Auditoria do SUS (Denasus), do Ministério da Saúde. Entre as ações destacam-se 17 mutirões de cirurgia, incluindo o mutirão de coluna realizado na última semana que atendeu a 35 pacientes com deformidades, fraturas e doenças degenerativas.

O Instituto também realizou o recadastramento e a revisão de pacientes da lista de espera, abertura do banco de sangue e do centro de trauma referenciado, além das parcerias com unidades de saúde com serviço de ortopedia, como os hospitais estaduais da Criança e Dona Lindu, no Rio de Janeiro. Essas medidas permitiram a redução da fila, que em dezembro de 2012 era de 21 mil pessoas, para 14 mil, sendo 5,2 mil incluídos este ano. De 2013 para cá, foram realizados 13.497 procedimentos cirúrgicos, um aumento de 42% em relação a 2012.

O Into vem estabelecendo ainda parcerias com instituições de saúde de outros estados - Acre, Minas Gerais, São Paulo e Paraná - para prestar assessoria técnica e gerencial e fortalecer a rede de serviços de alta complexidade em ortopedia, traumatologia e reabilitação pós-operatória. Essa ação tem como objetivo fortalecer a rede de ortopedia nos estados.
Agência Saúde
Fonte Agência Saúde 25/08/2014 ás 13h

Compartilhe

Instituto realiza mutirões para reduzir filas no RJ e no AM