Grupos de defesa dos homossexuais britânicos anunciam protestos contra o Papa

Fonte Ansa Flash. 02/02/2010 às 12h

Grupos seculares e que defendem os direitos dos homossexuais condenaram as declarações do papa Bento XVI em relação às leis britânicas e anunciaram a realização de protestos durante a visita do Pontífice à Grã-Bretanha, que deverá ocorrer no segundo semestre do ano.

Ao receber bispos católicos da Inglaterra e do País de Gales no Vaticano, o Pontífice afirmou ontem que regras a favor da igualdade contrariam a lei natural, em referência indireta à Equality Bill -- legislação que está atualmente em discussão no Parlamento britânico e que pretende introduzir juridicamente direitos de igualdade a gays e lésbicas e condenar a discriminação em questões trabalhistas.

De acordo com Bento XVI, as normas a favor da igualdade batem de frente com o catolicismo ao "impor injustas limitações à liberdade da comunidade religiosa de agir de acordo com sua fé".

Segundo a imprensa britânica, a Sociedade Secular Nacional (NSS, na sigla em inglês) informou que tentaria mobilizar manifestações que incluíssem secularistas, feministas, grupos gays, vítimas de abuso sexual de religiosos, organizações de planejamento familiar, entidades a favor do aborto e "qualquer um que sinta sob o certo da militância atual do Vaticano".

A NSS também criticou a estimativa de que a visita do Papa à Grã-Bretanha implicaria em custos na ordem de 20 milhões de libras esterlinas aos bolsos do contribuinte. "Uma visita na qual, ele já indicou, atacará os direitos de igualdade e promoverá a discriminação", argumentou Terry Sanderson, presidente da entidade.

O ativista pelos direitos dos homossexuais Peter Tatchell comunicou que seu grupo OutRage! também vai protestar quando Bento XVI estiver na ilha. "As críticas do Papa de que a legislação britânica de igualdade ´viola a lei natural´ são um ataque codificado aos direitos legais garantidos a mulheres e a pessoas gays", afirmou.

"Sua mal informada reivindicação de que nossas leis de igualdade minam a liberdade religiosa sugere que ele apoia o direito das igrejas de discriminar em concordância com seu ethos religioso", continuou Tatchell.

"Ele parece estar defendendo a discriminação de instituições religiosas e solicitando que elas deveriam estar acima da lei", acrescentou o ativista.

O governo britânico, no entanto, considera que a lei fará do Reino Unido uma nação mais justa.

Ansa Flash.
Fonte Ansa Flash. 02/02/2010 ás 12h

Compartilhe

Grupos de defesa dos homossexuais britânicos anunciam protestos contra o Papa