Geneticista explica importância de usar técnica do DNA Recombinante

Fonte Barcelona Soluções Corporativas 02/06/2012 às 22h

Segundo professor João Bosco Pesquero, a combinação de duas ou mais sequências de genes é capaz de evitar doenças ou até mesmo curá-las

Nas últimas décadas, de forma progressiva, a ciência tem avançado e apresentado ao mundo seus estudos e resultados. As técnicas que envolvem o DNA, material genético responsável pelo armazenamento de todas as informações capazes de gerar um organismo adulto, ficaram mais apuradas e a utilização da transgenia para estudar novos mecanismos e expressões gênicas gerou grandes benefícios, como a criação do DNA Recombinante. Como tema de estudo pelo Portal Saiba Mais Sobre Biotec, da Sociedade Brasileira de Genética (SBG), o professor João Bosco Pesquero, Livre-Docente do Departamento de Biofísica da Universidade Federal de São Paulo, explica a importância desta técnica para o desenvolvimento humano.

A partir da combinação de duas ou mais sequências de DNA, criou-se o DNA Recombinante, também chamado de Vetores de DNA, que além da importância para o desenvolvimento científico e tecnológico, é fundamental na produção de proteínas recombinantes em diferentes áreas de atuação, principalmente na biotecnologia. “Além de fornecer importantes informações sobre os genes, sua estrutura, função e natureza, as sequências de DNA recombinantes vêm sendo utilizadas para a produção de substâncias úteis, com finalidades farmacêuticas ou não e aprimoramento genético artificial de plantas e animais”, completa Pesquero.

Atualmente, existem quatro formas de transferir genes de um ser vivo para outro, são eles: Microinjeção, que consiste na utilização de uma micro pipeta ou seringa para introduzir uma pequena quantidade de DNA no núcleo da célula-alvo, de forma ilimitada; Eletroporação, que a partir de pulsos elétricos de alta voltagem, causam a indução de poros na membrana das células, permitindo a entrada do gene de interesse; Biobalística, na qual micro-esferas de tungstênio ou ouro cobertas por DNA são aceleradas por uma combinação de gás Hélio, ondas de choque elétricas e pólvora, entre outros, e são projetados contra as células, promovendo a entrada do DNA no tecido alvo; e por fim, Transferência via Agrobacterium Tumefaciens, onde a bactéria deve manter-se em contato com a célula, tecido ou órgão de uma planta, para que então, o vetor de transformação com seu gene de interesse entrem em contato e deem início ao processo de transferência e transformação do genoma da planta.

Estes métodos podem ser divididos em diferentes processos, sendo eles químicos, físicos ou baseados em vírus. Cada um, associado com o tipo de célula que se deseja modificar. As técnicas de biobalística e agrabacterium são geralmente utilizadas para células vegetais, enquanto as de microinjeção e de eletroporação, para células animais. O professor Pesquero explica que “os métodos de introdução de material genético a serem aplicados dependem, em parte, dos tipos de células que serão utilizadas e do tipo de experimento que será realizado”.

A aplicação do DNA Recombinante também se estende à área médica, podendo ser usado até mesmo para correções genéticas em humanos, animais ou plantas, a chamada terapia gênica. Tais combinações podem criar características capazes de evitar doenças ou mesmo curá-las. Também como campo de atuação e evolução da tecnologia, sua utilização tem sido de grande ajuda em perícias criminais, com investigações, de maior propriedade, na identificação de restos humanos.

No início dos anos 70 e 80 os EUA eram tidos como os principais líderes desta tecnologia. Com o passar do tempo, países como Alemanha, Inglaterra, França e Japão ganharam destaque e fizeram parte desta importante evolução. Hoje, com a comercialização e aplicação destas técnicas, há maior abrangência e conhecimento em todo o mundo. Países mais desenvolvidos na tecnologia lideram a corrida com grandes projetos em rede para a geração e disponibilização de modelos transgênicos em todo o mundo. O Brasil está na relação de países que desenvolvem a técnica porém possui apenas algumas iniciativas modestas para ser detentor da tecnologia.

Para aprender mais sobre alimentos biofortificados, animais, células-tronco, genética e biotecnologia e suas aplicações no presente e possibilidades no futuro, conheça o Portal Saiba Mais Sobre Biotecnologia, da SBG.

A SBG lançou o portal Saiba Mais Sobre Biotecnologia, com conteúdo online gratuito para estudantes, professores e quem mais tiver interesse e curiosidade em entender melhor o que é e quais são as aplicações possíveis para a manipulação genética. O portal já nasce como uma importante ferramenta de apoio a estudantes e professores de Ensino Médio, cursinhos, universidades e é dividido em cinco áreas: biotecnologia, vegetais transgênicos, animais transgênicos, terapia gênica e células-tronco.

Qualquer um pode se inscrever: basta acessar o site, cadastrar-se e começar a estudar. Acesse: http://saibamaisbiotec.com.br/moodle/

Sobre a SBG

A Sociedade Brasileira de Genética (SBG) reúne, desde 1955, geneticistas brasileiros e todas as pessoas interessadas em assuntos relacionados à genética. É filiada à Sociedade Brasileira Para o Progresso da Ciência e tem atualmente 1287 associados, entre professores, pesquisadores e profissionais ligados à centros de pesquisa, universidades, fundações e empresas. A entidade publica livros e edita duas revistas, assinadas pela elite da genética brasileira: Genetics and Molecular Biology, publicação científica internacional, e a Genética na Escola, voltada para professores de Ensino Médio e Superior. Visite: www.sbg.org.br.

Barcelona Soluções Corporativas
Fonte Barcelona Soluções Corporativas 02/06/2012 ás 22h

Compartilhe

Geneticista explica importância de usar técnica do DNA Recombinante