Fiocruz obtém registro de remédio para doença renal crônica e degenerativa

Fonte Farmanguinhos/Fiocruz 01/09/2014 às 10h
O Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos/Fiocruz) obteve o registro do medicamento cloridrato de Sevelâmer 800 mg, usado no tratamento da Doença Renal Crônica e Degenerativa (DRC). O deferimento foi concedido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e publicado no Diário Oficial da União (DOU) em 25 de agosto. É o quinto medicamento estratégico registrado pela unidade somente este ano. O sevelâmer resulta de uma Parceria de Desenvolvimento Produtivo (PDP) envolvendo a indústria farmoquímica nacional Cristália, a Bahiafarma e Farmanguinhos. A unidade receberá a tecnologia gradativamente ao longo de cinco anos do acordo.

Segundo a gerente do projeto, Marcia Pietroluongo, que atua na Coordenação de Desenvolvimento Tecnológico (CDT), a partir do quarto ano de parceria o Instituto deverá produzir 50% da demanda nacional e a outra metade ficará a cargo da Bahiafarma. “A partir do deferimento do registro, publicado em 25/8/2014, Farmanguinhos tem três anos de preparo técnico para iniciar a produção. A estimativa é que a instituição distribua 32 milhões de unidades farmacêuticas ao Ministério da Saúde anualmente”, explicou.

Até a assinatura do acordo, celebrado em 2012, os gastos do Ministério da Saúde com a importação do medicamento chegavam a US$ 43 milhões anualmente. Com isso, além de garantir o fornecimento do medicamento à população assistida pelo Sistema Único de Saúde (SUS), a produção pública nacional do Sevelâmer representa uma redução de custo aos cofres públicos e o fortalecimento do setor farmoquímico nacional.

Mais medicamentos para o SUS

O Sevelâmer é o quinto medicamento registrado por Farmanguinhos em 2014. O Instituto já havia conseguido o registro da atorvastatina cálcica, usada para controle da elevação do colesterol; e do Cabergolina 0,5 mg, indicado para tratar o excesso de produção do hormônio feminino prolactina ou hiperprolactinemia. Além desses, Farmanguinhos obteve os registro de dois medicamentos para o tratamento de pessoas que vivem com HIV/Aids: o Atazanavir, antirretroviral mais usado no Brasil; e o que associa dois princípios ativos em um único comprimido - Fumarato de Tenofovir Desoproxila 300 mg + Lamivudina 300mg, popularmente conhecido como 2 em 1.
Farmanguinhos/Fiocruz
Fonte Farmanguinhos/Fiocruz 01/09/2014 ás 10h

Compartilhe

Fiocruz obtém registro de remédio para doença renal crônica e degenerativa