Festival de dança rompe com hierarquias tradicionais

Fonte FUNARTE 27/08/2014 às 9h
O CAUSA < ações artísticas > chega à segunda edição com formato independente e itinerante

De 26 a 31 de agosto de 2014, a mostra CAUSA em CAUSA exibirá espetáculos e promoverá encontros de reflexão sobre dança contemporânea, para fora dos círculos especializados.

A programação, totalmente gratuita, interliga ações e trabalhos que reeditam, num modelo itinerante, o Festival Experimental de Dança CAUSA < ações artísticas > realizado em 2013 na cidade mineira de Juiz de Fora. A ideia é desdobrar atividades e criações iniciadas no primeiro evento, mas de forma independente, a partir do encontro de parcerias.

Em 2014, a parceria do CAUSA com o COMO_Clube e com o projeto Âmbargris – Cercos Choreográficos, contemplado por edital de ocupação da Sala Renée Gumiel, trouxe ao Complexo Cultural da Funarte em São Paulo quatro espetáculos e uma sequência de encontros ligados à experiência e à crítica da dança.

Com direção de Juliana França e Letícia Nabuco, o CAUSA pretende, também, “rever a ideia de Festival como produção de eventos e tirar o foco das assinaturas, trazendo o interesse para a permanência e para o ato”.

Âmbargris – Cercos Choreográficos
Projeto contemplado por edital de ocupação da Sala Renée Gumiel do Complexo Cultural Funarte São Paulo. Alameda Nothmann, 1058, São Paulo, SP. Tel. (11) 3662-5177

Mostra CAUSA em CAUSA
Festival Experimental de Dança CAUSA < ações artísticas >
De 26 a 31 de agosto | Terça a domingo
Gratuita
Direção: Juliana França e Leticia Nabuco | Artistas realizadores: Luciana Maia, Isabela Carletti, Ana Dupas, Allyson Amaral, COMO_Clube, Marcela Áquilla, Leticia Nabuco, Juliana França, Tiago Gandra | Produção: Juliana França

Ação: SPET – Sistema Performativo de Estudo de Tradução
Dia 26 de agosto | Terça, 18h
SPET (Sistema Performativo de Estudo de Tradução) é uma proposição da artista paulistana Ana Dupas iniciada no COMO_Clube, plataforma de criação que busca promover ambientes de performance. A atividade, que tem coordenação de Thelma Bonavita e apoio da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo (2012-2013), não faz distinção entre público e artistas: todos os participantes são corresponsáveis, segundo a função que escolhem exercitar: leitor, tradutor, assistente de tradução, sintetizador, escrivão ou espectador. O SPET é parte da Mostra de Dança CAUSA em CAUSA, dirigida pelo Causa < ações artísticas >, Festival Experimental de Dança acolhido pela Ocupação Âmbargris – Cercos Choreográficos. A cada vez que é acionado, o SPET faz surgir um texto. Desta vez será traduzido o texto de Andrew Hewitt Social Choreography: Ideology as Performance in Dance and Everyday Movement.

Ação: Tá Crítico
Dias 27, 29, 30 e 31 | Quarta, sexta, sábado e domingo, após espetáculos
Tá Crítico é uma das bases de sustentação do Festival Experimental de Dança CAUSA < ações artísticas >, e estará presente em toda a Mostra CAUSA em CAUSA. Sua meta é buscar vias de acesso à produção, ao pensamento e à apreciação da dança contemporânea. A ideia é viver com o público experiências críticas, em contraposição ao entendimento de que apenas especialistas “autorizados” podem ingressar neste universo. “A crítica impulsiona os processos criativos, potencializa a apreciação de espetáculos, produz conhecimento e é uma importante ferramenta de colaboração artística e de aprofundamento nas situações de trocas com o público”, explicam os organizadores da atividade.

Espetáculo: Garota Glamourosa
Dia 27 de agosto | Quarta, 20h30
Interpretação e criação: Isabela Carletti | Direção de movimento: Leticia Nabuco | Criadores colaborativos: artistas residentes no projeto Operação 2012: Aline Rodrigues, André Fonseca, Luciana Maia, Juliana França, Leticia Nabuco e Ludmilla Teixeira | Concepção de figurino: Isabela Carletti | Concepção de cenário: Isabela Carletti e Rodolfo Fontes, em colaboração com os artistas residentes | Apoio: Diversão & Arte Espaço Cultural
Duração: 40min | Recomendação etária: livre
Garota Glamourosa é um argumento corporal que põe em foco pequenos fins do mundo. Desenvolvido junto ao CAUSA < ações artísticas > e idealizado durante a Residência Artística Operação 2012, realizada de outubro a dezembro daquele ano em Juiz de Fora (MG), o trabalho é fruto de uma investigação cênica com base em intervenções coletivas dos artistas residentes. Pautado na representação, mostra-se como um quadro tosco da realidade de plástico: uma garota vive intensamente sua imagem fake.

Espetáculo: De Novo
Dia 29 de agosto | Sexta, 20h30
Concepção e performance: Leticia Nabuco | Som: Bruno dos Santos | Fotografia: Bruno dos Santos e Juliana França | Colaborações no processo de criação: Juliana França, Raíssa Ralola e Israel Alves
Agradecimentos: Juliana França, Bruno dos Santos, Aline Rodrigues, Christine Sílmor, Cia Ekilíbrio, Leo Nabuco | Apoio: Diversão & Arte Espaço Cultural
Duração: 35min | Recomendação etária: 18 anos
De Novo convida a refletir sobre os ciclos de transformação e o diálogo que os acompanha e constrói o movimento. A obra propõe uma experiência coletiva do Branco, como porta de entrada estética e simbólica para se chegar a descobertas do que é ou pode ser novo. “(O) nada é insignificante, mas (o) nada existe e permite que coisas frescas, de novo, aconteçam”. Projeto financiado pelo festival de dança CAUSA 2013, que teve início na residência Operação 2012, na cidade de Juiz de Fora (MG).

Espetáculo: Entreperfície
Dia 30 de agosto | Sábado, 20h30
Concepção e direção: Luciana Maia | Direção de movimento: Leticia Nabuco | Performer: Tiago Gandra | Som: Luciana Maia, André Fonseca e Ludmilla Teixeira | Colaborações no processo de criação: Aline Rodrigues, André Fonseca, Isabela Carletti, Juliana França, Leticia Nabuco e Ludmilla Teixeira | Apoio: Diversão & Arte Espaço Cultural
Duração: 30min | Recomendação etária: livre
Entreperfície guia o espectador em um mergulho pela vida em colapso. Questiona formas de aderência do corpo a superfícies móveis, como este fluxo é determinado e os pontos de contato da sua trajetória. “Onde os músculos se entregam? Em quais junções os ossos resistem a quedas? Por entre os espaços, é possível descobrir intervalos de queda e de suporte”. A concepção da obra é de Luciana Maia, artista que busca, em seus trabalhos, investigar corpo, imagem e palavra por meio da dança, da performance, do teatro e do vídeo.

Espetáculo: Coreografia
Dia 31 de agosto | Domingo, 20h30
Propositoras: Juliana França e Ana Dupas | Colaboração: Marcella Áquila
Duração: cerca de 40min | Recomendação etária: livre
Criado como estudo para uma grafia do espaço, ste espetáculo é um desdobramento da pesquisa Dark Room, proposta pelas artistas Juliana França e Ana Dupas com colaboração de Marcella Áquila. A concepção rompe com o entendimento tradicional de que dança é algo para ser visto, ao mesmo tempo em que transforma e redesenha no tempo a arquitetura do espaço. Paralelamente ao espetáculo, a Funarte abriga dois outros eixos que se intercalam nesta investigação: o laboratório Dark Room Lab2: Sistemas Coreográficos e o SPET: Sistema Performativo de Estudo de Tradução.

Mais informações: causaacoesartisticas.wix.com/causa
FUNARTE
Fonte FUNARTE 27/08/2014 ás 9h

Compartilhe

Festival de dança rompe com hierarquias tradicionais