Expedição do CEMAVE monitora avifauna em UC da Caatinga

Fonte Comunicação ICMBio 07/06/2012 às 21h

Brasília  - O Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Aves Silvestres do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (Cemave/ICMBio), realizou de 14 a 28 de maio, a segunda expedição do Projeto de Monitoramento da Avifauna em Unidades de Conservação do Bioma Caatinga na Estação Ecológica Raso da Catarina. Parte da expedição foi coberta pela equipe de reportagem da EPTV, afiliada da Rede Globo e da Revista Terra da Gente.

Os métodos de amostragem foram executados levando em consideração um protocolo estabelecido pelo Centro e instituições parceiras tais como: Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Universidade Federal de Pernambuco (UFPE),União Educacional Sul Fluminense (UESF), Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo (MZUSP), Associação de Pesquisa e Conservação de Ecossistemas Aquáticos (AQUASIS).

Foram amostrados quatro ambientes: Pororoca, Centro Oeste, Limite Norte e Serra Branca, principal local de reprodução da arara-azul-de-Lear. Foram aplicados pontos de escuta, listas de Mackinnon e captura com redes de neblina. Até agora foram registradas 145 espécies de aves silvestres e seis novos registros, dentre eles o pintassilgo-do-nordeste (Sporagra yarrellii), espécie ameaçada principalmente pelo tráfico ilegal de animais silvestres.

Por meio destes métodos espera-se avaliar a tendência da composição, riqueza e abundância da avifauna a cada três anos. Além disso, espera-se relacionar a saúde da avifauna com aspectos biológicos das aves, de vegetação e de alterações antrópicas. Para tanto, a avifauna está sendo amostrada também para parasitos e agentes patogênicos responsáveis por doenças de importância para a saúde das aves e saúde pública.

A expedição contou com a presença de dois analistas ambientais do Cemave/ICMBio, um analista da Estação Ecológica Raso da Catarina, além de colaboradores da AQUASIS, USP, UFRPE, PIBIC/ICMBio, voluntários da região e servidores da UC.

O Cemave/ICMBio desenvolve seus trabalhos na estação desde 2001, quando implantou uma base permanente de campo para o monitoramento da arara-azul-de-Lear, espécie considerada criticamente ameaçada de extinção. O projeto de monitoramento da avifauna começou a ser realizado a partir de maio de 2011, com o reconhecimento da área e localização dos pontos de amostragem de acordo com as fitofisionomias existentes e impactos antrópicos.

Este é um projeto de longo prazo e visa avaliar as tendências das populações de aves e os possíveis fatores que possam causar impacto a viabilidade das populações. Será desenvolvido primeiramente na Estação Ecológica Raso da Catarina e Floresta Nacional Contendas do Sincorá e faz parte do compromisso assumido pelo governo brasileiro na Convenção da Diversidade Biológica de monitorar, por meio de levantamento de amostras e outras técnicas, os componentes da diversidade biológica.



Comunicação ICMBio
Fonte Comunicação ICMBio 07/06/2012 ás 21h

Compartilhe

Expedição do CEMAVE monitora avifauna em UC da Caatinga