Em discurso a diplomatas, Bento XVI reitera condenação ao terrorismo

Fonte Ansa Flash. 11/01/2010 às 10h

O papa Bento XVI reiterou hoje sua condenação ao terrorismo, ressaltando que a prática "coloca em perigo um grande número de vidas inocentes e provoca um enorme sentimento de angústia".

Em seu tradicional discurso de início de ano aos diplomatas credenciados no Vaticano, o Pontífice renovou seu apelo "àqueles que fazem parte de grupos armados de qualquer tipo para que abandonem o caminho da violência e abram seus corações à alegria da paz".

O Papa destacou também em sua fala que o mundo ainda está "marcado pela dramática" crise econômica que eclodiu em 2008 e que levou as principais nações do planeta à recessão no ano passado.

Bento XVI chamou a atenção para a "instabilidade social" gerada pelo colapso do sistema financeiro. "A mentalidade corrente, egoísta e materialista esquece os limites próprios e de cada criatura", alertou. Para o líder católico, a raiz da crise não foi superada e ainda "ameaça" a população mundial.

No discurso desta segunda-feira, o Pontífice também criticou as legislações referentes aos direitos civis de homossexuais. Segundo ele, trata-se de "leis e projetos que, em nome da luta contra a discriminação, atingem o fundamento biológico da diferença entre os sexos".

Além disso, o Papa reiterou sua oposição às teorias que defendem o controle de natalidade como forma de combater a mudança climática. Bento XVI disse que não se deve "contrapor a salvaguarda do ambiente à da vida humana, inclusive à da vida antes do nascimento".

"É no respeito que o ser humano nutre por si próprio que se manifesta seu sentido de responsabilidade em relação ao criado", enfatizou o Papa, lembrando que o planeta "pode suficientemente nutrir todos os seus habitantes".

Ansa Flash.
Fonte Ansa Flash. 11/01/2010 ás 10h

Compartilhe

Em discurso a diplomatas, Bento XVI reitera condenação ao terrorismo