Deputados visitam instituto de automatização e pesquisa na China

Fonte Agência Câmara de Notícias 06/06/2012 às 22h

Deputados visitam instituto de automatização e pesquisa na China

Parlamentares brasileiros conheceram experiências chinesas de tecnologia energética e o trem de alta velocidade, além de visitarem parlamentos regionais do país asiático.

Nazur Garcia
Marco Maia na China
Marco Maia com o secretário-geral do Partido Comunista Chinês de Jiangsu, Luo Zhijun.

A comitiva de deputados federais que visita a China esteve, nesta quarta-feira, no Instituto de Automatização e Pesquisa de Nanjing, da empresa Nari, ligada ao Grupo State Gred. Na visita à China, acompanham o presidente da Câmara, Marco Maia, os líderes do PT, Jilmar Tatto (SP), e do PSDB, Bruno Araújo (PE); a presidente da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional, Perpétua Almeida (PCdoB-AC); o presidente do Grupo Parlamentar de Amizade Brasil-China, Osmar Júnior (PCdoB-PI); e o deputado Fábio Ramalho (PV-MG).

Nari é uma estatal chinesa instalada no Parque Tecnológico Pukou, na província de Jiangsu, e atua na produção de equipamentos e sistemas de automatização e controle de geração e distribuição de energia elétrica, eólica e solar, em controle de tráfego de trens e no desenvolvimento e montagem de automóveis elétricos. O Grupo State Gred exporta para mais de 60 países, emprega 24 mil trabalhadores, conta com uma subsidiária no Rio de Janeiro e também atua junto à Usina Hidrelétrica de Itaipu.

Marco Maia afirmou que o Brasil busca implantar uma matriz energética renovável, eficiente, com alta tecnologia e de baixo custo e que, por isso, a parceria com a China pode ser muito proveitosa. Lembrou ainda, que, além das grandes obras em andamento para os eventos da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016, o Brasil possui planos de fortes investimentos em infraestrutura, logística, exploração do petróleo do pré-sal e implantação de trens de alta velocidade.

"Para que possamos vencer esses desafios, é fundamental estabelecer parcerias estratégicas”, observou Maia. “E a China, assim como os demais países componentes do Brics [Brasil, Rússia, Índia e África do Sul], está entre nossos principais parceiros." Ele disse que o Legislativo brasileiro continuará aprimorando as leis para receber e acelerar novos investimentos.

Assembleia popular de Jiangsu
A comitiva de parlamentares brasileiros também foi recebida pelo secretário-geral do Partido Comunista Chinês de Jiangsu e presidente da Assembleia Popular da província, Luo Zhijun. O líder afirmou que pretende estimular as empresas chinesas "para que busquem realizar mais negócios com o Brasil, inclusive nas áreas da educação e da cultura".

Marco Maia destacou que estimular parcerias regionais também é pensar estrategicamente e que, por isso, levará aos governantes brasileiros a experiência de Jiangsu: "Precisamos seguir melhorando a qualidade de vida de nossos povos e isso passa por alianças estratégicas como a que estamos estabelecendo no âmbito dos legislativos dos dois países."

Trem de alta velocidade
Na terça-feira (5), a principal atividade da comitiva da Câmara na China foi conhecer o trem de alta velocidade (TAV) produzido totalmente com tecnologia desenvolvida naquele país. "O TAV chinês é um exemplo para o Brasil, pois mostra como podemos, a partir de tecnologias já consagradas no mundo, desenvolver projetos próprios nesta área", observou Marco Maia.

Em Nanjing, a comitiva foi recebida pela vice-presidente do Comitê Permanente da Assembleia Popular da Província de Jiangsu, Bai Suning. Nanjing é a capital de Jiangsu e possui uma população de aproximadamente 13 milhões de pessoas.

Em Pequim
No final desta quarta-feira, a comitiva brasileira partiu para Pequim, onde, a partir desta quinta-feira (7), visita o Centro de Controle Aeroespacial e realiza encontro com o primeiro-ministro Wenjiabo e com o vice-presidente da Assembleia Popular da China, Wang Zhaoguo.

Agência Câmara de Notícias
Fonte Agência Câmara de Notícias 06/06/2012 ás 22h

Compartilhe

Deputados visitam instituto de automatização e pesquisa na China