Declaração do Departamento de Estado dos EUA sobre Honduras

Fonte Embaixada dos Estados Unidos da América. 07/12/2009 às 12h

O gabinete  do porta-voz do Departamento de Estado dos EUA distribuiu a seguinte transcrição de uma declaração feita pelo secretário adjunto de Estado para Assuntos do Hemisfério Ocidental, Arturo Valenzuela, durante uma teleconferência com jornalistas sobre recentes desdobramentos em Honduras.

DEPARTAMENTO DE ESTADO DOS EUA
Gabinete do Porta-Voz

Para divulgação imediata                                                                               
3 de dezembro de 2009

Secretário adjunto para Assuntos do Hemisfério Ocidental, Arturo Valenzuela, sobre os recentes desdobramentos em Honduras

3 de dezembro de 2009
via teleconferência

SECRETÁRIO ADJUNTO VALENZUELA: Sim. Muito obrigado. Como vocês sabem, o Congresso hondurenho votou pela não restituição do presidente Manuel Zelaya à Presidência de Honduras. Lamentamos essa decisão, uma vez que os Estados Unidos tinham esperanças de que o Congresso aprovasse a restituição. E nossa política desde 28 de junho tem sido coerentemente baseada em princípios, condenamos o golpe de estado e continuamos a aceitar o presidente Zelaya como líder democraticamente eleito e legítimo de Honduras durante toda a crise política.

Entretanto, a decisão do Congresso, por meio de processo aberto e transparente, foi tomada em conformidade com o previsto no artigo 5 do Acordo Tegucigalpa-San José. Tanto o presidente Zelaya quanto Micheletti aceitaram o acordo em 30 de outubro.

Resta um trabalho importante a ser feito para restabelecer a ordem democrática e constitucional em Honduras e para promover a reconciliação nacional após o golpe de estado de 28 de junho, já que o status quo continua inaceitável. Nos termos do Acordo Tegucigalpa-San José, os próximos passos nesse processo seriam a rápida formação de um governo de união nacional e a criação de uma comissão da verdade. É importante que essas etapas sejam cumpridas com vistas a preparar o caminho para a volta de Honduras à comunidade de democracias interamericanas. O povo hondurenho não merece menos que isso e indicou claramente seu desejo de seguir em frente com a nova liderança mediante forte participação nas eleições de domingo.

Os Estados Unidos continuarão a trabalhar com parceiros hondurenhos e internacionais para ajudar no cumprimento de nossa meta abrangente de apoiar a restauração da ordem democrática e constitucional. Estamos estimulados pelo forte apelo por reconciliação nacional feito pelo presidente eleito, Pepe Lobo, o que é também um passo importante nessa direção.

Embaixada dos Estados Unidos da América.
Fonte Embaixada dos Estados Unidos da América. 07/12/2009 ás 12h

Compartilhe

Declaração do Departamento de Estado dos EUA sobre Honduras