Corcovado e Complexo do Pão de Açúcar (RJ) comemoram 42 anos de tombamento

Fonte Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional 10/08/2015 às 10h

Tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) no ano de 1973 por sua importância na composição da paisagem cultural do Rio de Janeiro, o Corcovado e o Complexo do Pão de Açúcar são considerados duas atrações turísticas excepcionais da cidade maravilhosa. E ambos possuem figuras emblemáticas de reconhecimento: o Cristo Redentor e o bondinho.

O Corcovado é uma montanha de 704 metros de altitude, localizada no extremo frontal da Serra da Carioca, visitado pela primeira vez no início do século XIX. A montanha se tornou célebre no Brasil e no mundo, devido a imagem de Cristo – de 38 metros de altura – erguida no cume do Morro. A ideia deve-se ao padre Pedro Maria Boss, Capelão do Colégio Imaculada Conceição de Botafogo, na mesma época.

Enquanto o Complexo do Pão de Açúcar é composto pelos morros do Pão de Açúcar, da Urca e da Babilônia. Ele se tornou famoso pelo Bondinho do Pão de Açúcar, o teleférico é um dos passeios mais almejados pelos visitantes. A atração interliga a Praia Vermelha ao Morro da Urca e ao Pão de Açúcar. O bondinho foi instalado no período de 1908 e 1912, e é considerado o primeiro teleférico do país.

 

Continua lindo

Em 2012, a Cidade do Rio de Janeiro recebeu a titulação de Patrimônio Mundial Paisagem Cultural Urbana, concedida pela Unesco. E, a partir de ações integradas, passou a preservar os seguintes locais: Pão de Açúcar, Corcovado, Floresta da Tijuca, Aterro do Flamengo, Jardim Botânico, praia de Copacabana, entrada da Baía de Guanabara, o forte e o morro do Leme, o forte de Copacabana, o Arpoador, o Parque do Flamengo e a enseada de Botafogo.

O conceito de paisagem cultural foi adotado pela Unesco em 1992 e incorporado como uma nova tipologia de reconhecimento dos bens culturais, conforme a Convenção de 1972 que instituiu a Lista do Patrimônio Mundial. Até o momento, os sítios reconhecidos mundialmente como paisagem cultural relacionam-se às áreas rurais, aos sistemas agrícolas tradicionais, aos jardins históricos e a outros locais de cunho simbólico, religioso e afetivo. O reconhecimento do Rio de Janeiro culminou em uma nova visão e abordagem sobre os bens inscritos na Lista do Patrimônio Mundial.

Por isso, o Prêmio Rodrigo Franco de Melo Andrade – 28ª Edição presta homenagem à cidade do Rio de Janeiro, com a temática Rio 450 anos – Patrimônio Mundial Paisagem Cultural Urbana.

Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional
Fonte Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional 10/08/2015 ás 10h

Compartilhe

Corcovado e Complexo do Pão de Açúcar (RJ) comemoram 42 anos de tombamento