Cooperação científica com Portugal entra em nova etapa

Fonte Agência FAPESP 26/08/2014 às 10h
Nuno Crato, ministro da Educação e Ciência de Portugal, chefiou uma delegação recebida na sexta-feira (22/08) pelo presidente da FAPESP, Celso Lafer, e por representantes da Fundação. O motivo do encontro foi discutir a cooperação científica entre pesquisadores no Estado de São Paulo e de instituições de pesquisa em Portugal.

Acompanharam o ministro Renata Ramalho, assessora de imprensa, e Paulo Lopes Lourenço, cônsul-geral de Portugal em São Paulo. Pela FAPESP, participaram da reunião Eduardo Moacyr Krieger, vice-presidente; Joaquim José de Camargo Engler, diretor administrativo; Fernando Dias Menezes de Almeida, assessor da Presidência; Hernan Chaimovich, assessor especial da Diretoria Científica; Gustavo Mônaco, coordenador da Procuradoria Jurídica; e Regina Oliveira, diretora da área de Biologia, Agronomia e Veterinária.

“Uma preocupação permanente da FAPESP é que as relações de cooperações científica e tecnológica com Portugal se adensem por meio de acordos e encontros entre cientistas”, disse Lafer.

“Por esse motivo, assinei em outubro do ano passado um memorando de entendimento com Miguel Seabra, presidente do Conselho Diretivo da Fundação para a Ciência e Tecnologia [FCT] de Portugal, que permitirá o apoio a projetos e intercâmbio para sua elaboração e desenvolvimento”, disse.

No período em que esteve em Portugal, Lafer também procurou ampliar a cooperação científica entre cientistas paulistas e portugueses em contatos que manteve com dirigentes do Laboratório Internacional de Nanotecnologia de Braga e dos institutos de Medicina Molecular e Superior Técnico da Universidade de Lisboa.

Com a presença da secretária de Estado da Ciência de Portugal, Leonor Parreira, a cerimônia de assinatura do documento com a FCT, em Lisboa, estabeleceu o lançamento de uma chamada que receberá propostas de cientistas dos dois países até 22 de setembro. Cada projeto selecionado com base em pareceres de assessores internacionais poderá ser apoiado por até três anos e receber recursos de €400 mil de cada agência.

“Registramos um grande interesse nessa chamada. Até o momento, recebemos mais de 100 consultas de pesquisadores brasileiros ligados a universidades e institutos de pesquisa de São Paulo e também a universidades portuguesas como Coimbra, Setúbal, Açores e Nova de Lisboa, entre muitas outras”, disse Regina Oliveira.

Em sua primeira visita à FAPESP, Nuno Crato lembrou da longa história de colaboração entre cientistas dos dois países. “Agora, vamos pôr mãos à obra para que os pesquisadores procurem áreas de convergência mais sólidas a fim de ultrapassar os limites da cooperação tradicional, focando seu trabalho na Educação e na Ciência para alcançarmos o avanço que isso nos permite. Como responsáveis políticos e administrativos, o melhor trabalho que temos a fazer é aproximar nossos cientistas”, disse.

Krieger destacou ser “fundamental que haja apoio institucional e recursos para concretizar o interesse de cooperação dos pesquisadores em realizar projetos em conjunto”.

“Portugal conta hoje com uma geração de investigadores bem qualificados, o que nos coloca em boa posição na Europa”, disse Nuno Crato. “Precisamos agora conseguir maior competitividade e a qualidade da pesquisa, procurando os melhores laboratórios e universidades do mundo para desenvolver grandes projetos envolvendo pesquisadores portugueses.”

“Procuramos uma maior utilização dos resultados da ciência pela sociedade e para o desenvolvimento econômico, e o Brasil tem ótimos exemplos disso”, disse o ministro português.
Agência FAPESP
Fonte Agência FAPESP 26/08/2014 ás 10h

Compartilhe

Cooperação científica com Portugal entra em nova etapa