Contas públicas registram em julho terceiro déficit primário consecutivo

Fonte Agência Brasil 29/08/2014 às 20h
O setor público consolidado – governos federal, estaduais e municipais e empresas estatais – apresentou déficit primário de R$ 4,715 bilhões, em julho, de acordo com dados divulgados hoje (29) pelo Banco Central (BC). Esse foi o terceiro déficit primário consecutivo. Em junho, o resultado negativo ficou em R$ 2,1 bilhões e, em maio, em R$ 11,046 bilhões. O resultado do mês passado foi o pior para julho na série histórica do BC, iniciada em dezembro de 2001. Essa foi a primeira vez que o resultado de julho ficou negativo.

Em julho do ano passado, houve superávit primário de R$ 2,287 bilhões. Nos sete meses do ano, o superávit primário chegou a R$ 24,665 bilhões, contra R$ 54,445 bilhões em igual período de 2013.

Em 12 meses encerrados em julho, o superávit primário do setor público ficou em R$ 61,526 bilhões, o corresponde a 1,22% do Produto Interno Bruto (PIB) – soma de todos os bens e serviços produzidos no país.


O superávit primário é a economia de recursos para pagar os juros da dívida pública e reduzir o endividamento do governo no médio e longo prazos. Este ano, a meta para o setor público é chegar a 1,9% do PIB.

No mês passado, o Governo Central (Tesouro, Banco Central e Previdência) registrou déficit primário de R$ 1,895 bilhão. Os governos estaduais registraram R$ 2,472 bilhões de déficit primário e os municipais, superávit de R$ 255 milhões. As empresas estatais, excluídos os grupos Petrobras e Eletrobras, registraram déficit primário de R$ 603 milhões.

Em sete meses, o Governo Central alcançou superávit primário de R$ 13,475 bilhões, os estaduais, R$ 7,761 bilhões e os municipais, R$ 3,696 bilhões.

Os gastos com os juros que incidem sobre a dívida chegaram a R$ 27,996 bilhões, em julho, e acumularam R$ 148,242 bilhões nos sete meses do ano. Com isso, o déficit nominal, formado pelo resultado primário e as despesas com juros, ficou em R$ 32,711 bilhões, no mês passado, e em R$ 123,577 bilhões, de janeiro a julho.

Nesta sexta-feira, a Secretaria do Tesouro Nacional também divulgou o resultado primário do Governo Central de março. Os números do BC diferem das contas do Tesouro Nacional. Além de incluir o desempenho fiscal de estados, municípios e estatais, o BC usa metodologia diferente para calcular o resultado primário. Enquanto o Tesouro contabiliza as receitas e os gastos executados do Orçamento, o BC faz as contas com base na variação do endividamento público. A diferença nos resultados do Tesouro Nacional e do BC costuma ocorrer devido a defasagens nos dados usados nos cálculos.
Agência Brasil
Fonte Agência Brasil 29/08/2014 ás 20h

Compartilhe

Contas públicas registram em julho terceiro déficit primário consecutivo