Comentário Direto de Brasília - 29-03-2016

Fonte José Woitechumas 30/03/2016 às h

PMDB DEVE ABANDONAR HOJE O TITANIC DE DILMA.

Meus caros ouvintes, leitores e telespectadores, se nos Estados Unidos a terça-feira gorda, como eles denominam o dia de votações importantes em Estados decisivos para a definição dos candidatos dos partidos para as eleições presidências, aqui, esta terça-feira não será diferente. Hoje pode sair a decisão do PMDB de abandonar a aliança com o PT e o governo Dilma Roussef. Tudo leva a crer que isto deve acontecer. Dilma e seus aliados não conseguiram reverter a debandada que já vinha sendo ensaiada depois de tudo o que os governistas fizeram para desprezar o seu mais importante aliado. Num gesto de cartada final, o ex-presidente Lula veio à Brasília ontem e atua de forma articulada e demonstrando que não há limite para evitar o impeachment de sua pupila. Dilma, também já no desespero diante do possível desfecho da saída do PMDB e do efeito dominó que isto poderá desencadear, ataca no “varejo”, prometendo até os cargos que irão vagar com a saída dos peemedebistas. Ora, o impeachment, com a saída do mais forte aliado governista, fica mais próximo e quem, afora fanáticos e extremistas, estará disposto a colocar suas digitais como comparsa neste enredo? Insistindo ainda que o seu julgamento é um golpe, Dilma só consegue acirrar ainda mais os ânimos contra sua permanência. Depois do que foi publicado sobre o que pensa o ex-presidente Lula de magistrados, deputados, senadores, fica difícil acreditar que ele tenha alguma possibilidade de sucesso em sua empreitada de salvar a aliança e o governo. Afora as entidades como a OAB, Anamatra e tantas outras que discordam do pensamento palaciano, também os ministros, como o decano Celso de Mello e Carmem Lúcia, demonstram com clareza que as estultices de Lula calaram fundo no Judiciário. Evidente que lá ainda há os que não se constrangem em manter a fleuma como se nós, aqui da arquibancada, não desconfiamos de certas intenções e votos já proferidos para melar o andamento justo da Justiça. Que deve ser igual para todos. Mas não é. De maneiras que, meus caros ouvintes, leitores e telespectadores, confirmando-se a saída do PMDB da base do governo, inicia-se uma nova etapa da batalha pelo impedimento da Presidente. Pelas vias normais, legítimas e legais. Com amplo direito de defesa, diga-se de passagem. Não será uma jornada fácil. O papel do povo, a “voz rouca das ruas”, tem que continuar sendo ouvida e cada vez com mais força. Com a confirmação de que Marcelo Odebrecht, considerado o Presidente do Clube das Empreiteiras, entidade que surgiu para comandar o fatiamento das verbas da Petrobras, irá mesmo para a delação premiada, tem gente que já não dorme mais. Há quem fale que vai faltar japonês na Federal para conduzir tanta gente. Direto de Brasília, José Woitechumas.   

 

José Woitechumas
Fonte José Woitechumas 30/03/2016 ás h

Compartilhe

Comentário Direto de Brasília - 29-03-2016