Comentário Direto de Brasília - 28-03-2016

Fonte José Woitechumas 30/03/2016 às h

A RETOMADA DA VIDA APÓS AS MESAS FARTAS E OS CHOCALATES ABUNDANTES.

Meus caros ouvintes, leitores e telespectadores, o retorno ao trabalho após o feriadão, nos leva a indagar se, aqueles que se dedicaram a desejar renovação baseados no renascimento do Cristo, estarão dispostos mesmo a seguir suas promessas e desejos. Isto porque, independente de religião ou credo, nos cabe, como humanos, praticar a verdade e dentre elas, o cumprimento da palavra dada. Ninguém ignora que um dos maiores pecados de Dilma Roussef foi ter mentido sem medidas durante a campanha eleitoral. Hoje ninguém desconhece que um dos mais contumazes mentirosos é o ex-presidente Lula. Com suas bravatas e manobras, não consegue esconder que enriqueceu, que amealhou dinheiro público. Suspeita-se que as milionárias palestras que teria proferido, não passaram de outras mentiras em razão da absoluta falta de sua comprovação. Não se sabe onde e nem para quem e o quê falou. Não há registro de uma frase, uma foto sequer, que poderia valer por mil palavras. Nada. Só o dinheiro, quase 30 milhões, é concreto. Um ex-operário que alcança o prodígio de chegar ao maior cargo que um político poderia almejar, a Presidência de seu país, não poderia jamais enganar, mentir para o seu povo. Se o faz para o grupo de seguidores fiéis e fanáticos, é por opção deles. E de alguns chamados intelectuais que não conseguem mais disfarçar que ao apoiarem a roubalheira, nada mais fazem do que defender os cargos, as verbas e apoios “culturais” aos seus projetos fajutos. Sem contar os que estão instalados nas universidades , nos colégios, nas direções de educandários, que, sob o manto da intelectualidade, lavam as mentes jovens dos verdadeiros conceitos de probidade, honestidade e competência. Ao requerer, em caráter excepcional, a remessa do processo investigatório do ex-presidente Lula para o Supremo, o ministro Teori Zavaski demonstra toda a sua indigência com o que é a verdadeira justiça, no seu evidente ciúme do jovem Moro que ascende ao reconhecimento pelo seu trabalho e dedicação. Porque requer uma chamada “excepcional” para um cidadão comum? Que é hoje o Sr. Luiz Inácio Lula da Silva. Que, de excepcional, só tem o fato de seduzir mentes incautas que se deixam levar pelo temor do confronto com serviçais embrutecidos e mantidos com pixulecos, pão e mortadela. E, sim, milhares de cargos pagos com o dinheiro do povo. Um vereador morreu na semana passada no interior de São Paulo por que denunciou o uso de carros da Saúde para o transporte destes militantes. Jornalistas revelam o plano secreto de Lula para escapar da cadeia refugiando-se na embaixada da Itália, razão reconhecida hoje a Dona Mariza, a visionária, que requereu a dupla cidadania. Mas a Itália estaria disposta a dar refúgio a um foragido da Justiça, travestido de perseguido político? O PMDB promete desembarcar do governo nesta terça-feira, indisposto ao papel suicida de permanecer no Titanic e vai tentar usar os poucos salva-vidas que restam. Com ele deverão somar-se outros da chamada “base” que Dilma não consegue conter nem mesmo prometendo cargos, benefícios e sabe-se lá o que mais, no afã de afastar o impedimento que está em curso. Os atos, mais que as palavras, comprovarão a veracidade das promessas pascais. Mais do que as mesas fartas e os chocolates abundantes. Direto de Brasília, José Woitechumas.  

 

José Woitechumas
Fonte José Woitechumas 30/03/2016 ás h

Compartilhe

Comentário Direto de Brasília - 28-03-2016