Comentário Direto de Brasília - 16-03-2016

Fonte José Woitechumas 17/03/2016 às h

PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR: SE É PARA ENTREGAR O GOVERNO A LULA, PORQUE DILMA NÃO RENUNCIA?

Meus caros ouvintes, leitores e telespectadores, ontem, não sei por qual razão técnica evidentemente, não consegui repassar o meu Comentário. Poderia não assumir a minha parte de culpa, mas atribuo sim aos meus parcos recursos de informática, onde me considero um “jurássico” e, portanto, passível de tais falhas. Pelas quais, me desculpem os amigos, ouvintes e telespectadores. Assim como meus parceiros dos diversos veículos de comunicação. Passado um dia “incomunicável”, o cenário parece mais incendiário nesta quarta-feira. A aceitação pelo STF da delação premiada do senador Delcídio Amaral, jogou mais gasolina no fogo. Com a aceitação, trechos da delação do ex-líder do governo no Senado, estão sendo divulgados com detalhes. O surgimento do Ministro da Educação, Aloísio Mercadante, ainda um dos mais próximos da Presidente Dilma, esquenta mais as discussões. Mercadante teria oferecido dinheiro ou vantagens para que Delcídio não fizesse esta delação premiada. Mercadante teria definindo  como injustiça a nota assinada pelo Presidente do PT, pedindo a expulsão de quem foi tão zeloso e prestativo ao partido e aos seus principais líderes como Lula. Que, ainda segundo a delação, Delcídio ajudou livrar juntamente com seu filho, Lulinha, já nas investigações do Mensalão. Dilma, dentro do hábito petista de não assumir nada, afirma que Mercadante agiu sozinho, por vontade própria. Para variar, se sente “indignada” com as informações. O ex-presidente Lula, que já havia chamado Delcídio de imbecil quando da prisão do senador, também desmente qualquer responsabilidade sobre todas as já conhecidas maracutaias investigadas na Lava Jato, como o sítio em Atibaia, o duplex de Guarujá e o comando de todas as nomeações de diretores e assessores na Petrobras bem como da articulação com empreiteiros e empresários. Dilma ainda é envolvida diretamente pela nomeação de Cerveró e a desastrada compra de Pasadena. O senador Delcídio, na sua metralhadora giratória, envolve Aécio Neves, Renan Calheiros, Romero Jucá, Michel Temer e de quebra o ex-ministro José Eduardo Cardoso e ninguém menos que o Presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski.  Portanto, a temperatura subiu nestas últimas horas e não deixará se crescer com a possível e quase certa nomeação de Lula para o Ministério de Dilma Roussef. Isto requer reflexão e maturação, porém, é evidente que, diante do que disseram as ruas, adquirir foro privilegiado, escapar da alçada do juiz Sérgio Moro, não é nenhuma garantia de que Lula vai escapar da Justiça. O que deve ficar claro é que, com a nomeação de Lula, o governo terá dois presidentes e não é difícil de adivinhar quem será mero coadjuvante. Quem vai querer conversar com Dilma? Com estas manobras, Dilma, Lula e PT arrastam o Brasil para o brejo, para onde a vaca já foi há muito tempo. Direto de Brasília, José Woitechumas.  

José Woitechumas
Fonte José Woitechumas 17/03/2016 ás h

Compartilhe

Comentário Direto de Brasília - 16-03-2016