Cirurgias de orelha de abano completam 1 ano no HRT

Fonte Agência Brasília 02/09/2014 às 19h


Procedimento médico já foi realizado em aproximadamente 170 pessoas

BRASÍLIA (2/9/14)- O Programa de Cirurgia de Correção Orelha de Abano do Hospital Regional de Taguatinga (HRT) completou seu primeiro ano de existência. Longe de ser uma cirurgia meramente estética, o procedimento tem mudado a vida de muitas crianças e adolescentes e também de suas famílias. Dos 450 pacientes inscritos na abertura do programa, cerca de 170 já foram operados.


Grande parte das histórias das crianças e adolescentes já atendidos no HRT descreve casos de bullying, problemas de autoestima, apelidos desagradáveis, absenteísmo e evasão escolar.



Segundo o otorrinolangologista Jaime Siqueira, muitas crianças chegam ao consultório sofridas, tímidas, retraídas e com o estado psicológico bastante abalado. "A cirurgia de correção é muito importante para a mudança desse quadro de sofrimento das crianças. Muitas ficam antissociais, agressivas e não querem ir à escola", explicou o médico.



Segundo Jaime Siqueira, após a realização da cirurgia esse quadro que afeta negativamente o desenvolvimento da criança e do adolescente muda radicalmente. "Há depoimentos de mães sobre a melhora do rendimento de seu filho na escola", destacou.



COMO FUNCIONA - Os critérios para a cirurgia são o diagnóstico de orelha proeminente, a idade mínima de 7 anos e, principalmente, a pré-disposição da criança em ser operada, além da autorização dos pais.



O paciente inscrito será chamado para a consulta de avaliação pelo médico, na qual são solicitados os exames pré-operatórios laboratoriais (sangue, hemograma e coagulograma) e RX de tórax. Pacientes que têm entre 7 e 12 anos de idade possuem prioridade. Os adultos já inscritos serão chamados na medida da disponibilidade.



Nos casos em que houver dúvida sobre o desejo do paciente de se submeter à cirurgia e a consequência disso em sua vida, é solicitada uma avaliação psicológica com relatório detalhado sobre os problemas apresentados pela criança e a necessidade do procedimento.



Trata-se de uma cirurgia de média complexidade, realizada em centro cirúrgico com a presença de um anestesista (para anestesia geral ou sedação). "A intenção é que, na medida da disponibilidade, possamos atender toda a demanda e abrir novas inscrições para beneficiar a comunidade que tanto precisa desse serviço", finalizou o coordenador-geral de Saúde de Taguatinga, Otávio Augusto Rodrigues.
Agência Brasília
Fonte Agência Brasília 02/09/2014 ás 19h

Compartilhe

Cirurgias de orelha de abano completam 1 ano no HRT