Chile: coligação de esquerda perde espaço na Câmara

Fonte Agência Brasil. 15/12/2009 às 11h

Com uma popularidade de cerca de 80%, a presidente do Chile, Michelle Bachelet, não conseguiu eleger seu sucessor no primeiro turno nem garantir maioria na Câmara dos Deputados. As eleições, realizadas ontem (13), deram maioria para os candidatos da coligação de oposição Alianza na Câmara.

Porém, depois de 36 anos, o Partido Comunista conseguiu eleger um deputado federal – Guillermo Teillier, que é presidente da legenda. Já Rodrigo Pinochet, neto do ex-ditador e general Augusto Pinochet (1973-1990), não conseguiu eleger-se deputado federal.

Os chilenos foram às urnas nesse domingo para escolher o presidente da República, 20 senadores e 120 deputados federais. De acordo com analistas políticos, o eleitorado foi movido pelo desejo de mudança e o fim do desgaste de 20 anos da esquerda no poder.

Os dados oficiais mostraram que haverá segundo turno, em janeiro, polarizando as votações: o candidato de oposição e de centro-direita Sebastián Piñeira (Alianza) e o governista e ex-presidente Eduardo Frei Ruiz (Concertación). Nos próximos dias, devem ser intensificadas as negociações para buscar apoio dos candidatos derrotados.

Tanto Piñeira quanto Frei Ruiz buscaram o apoio e os votos do independente Marco Henriquez Ominami e Jorge Arrate (da coligação Juntos Podemos Mais), ambos de esquerda. O presidente eleito do Chile assume o governo em 11 de março de 2010.

 

Agência Brasil.
Fonte Agência Brasil. 15/12/2009 ás 11h

Compartilhe

Chile: coligação de esquerda perde espaço na Câmara