Chancelaria chilena investigará espionagem em Consulado na Bolívia

Fonte Ansa flash 11/06/2012 às 21h

SANTIAGO DO CHILE, JUN  - A Chancelaria do Chile ordenou uma investigação sobre possíveis atos de espionagem e infiltração de informação em seu Consulado na Bolívia, informou a imprensa local.

De acordo com a versão eletrônica da revista The Clinic, a informação de uma suposta espionagem chegou a conhecimento do chanceler Alfredo Moreno no último dia 4 de maio, por meio de funcionários do Departamento de Informática da Chancelaria.

A publicação noticiou que, "na ocasião, foi revelado que dois de seus colegas entraram no escritório do conselheiro da delegação diplomática, Rodolfo Montecinos, para realizar trabalhos que aparentavam ações de espionagem com a finalidade de prejudicar suas funções diplomáticas".

Segundo The Clinic, os envolvidos são Jaime Castro, um engenheiro formalizado pela Procuradoria Centro Norte pelo furto de vários discos rígidos, supostamente vazios, da Chancelaria, e seu chefe Carlos Fuentes.

Uma segunda versão do caso afirma que Castro encontrou uma conexão clandestina da rede do consulado que "refratava" até outro servidor. "Nos corredores da Chancelaria se especula se seria em direção a uma agência de espionagem boliviana, mas até agora não existe uma constatação formal disso", precisou a revista.

O documento indicaria, além disso, que Fuentes e Castro têm viajado juntos para Lima, no Peru, e não se hospedam em um hotel, nem na residência do embaixador ou em algum lugar eleito pelo serviço de inteligência no exterior para evitar recrutamentos de espionagem, mas sim em um apartamento "particular" que compartilham com "mulheres que mantêm neste país cada vez que viajam a serviço".

Chile e Bolívia não têm relações diplomáticas desde 1978 quando La Paz rompeu unilateralmente os laços em nível de embaixador com Santiago.

Ansa flash
Fonte Ansa flash 11/06/2012 ás 21h

Compartilhe

Chancelaria chilena investigará espionagem em Consulado na Bolívia