Caravanas Cênicas faz semana de parceria com o Cena Contemporânea

Fonte Secretaria de Comunicação da UnB 30/08/2014 às 11h
Após semana repleta de atividades em festival internacional, projeto que integra os alunos a distância e presencial se prepara para viajar, no início de setembro, para Primavera do Leste e Barra do Bugres, no Mato Grosso.

A semana foi cheia para os alunos que integraram essa terceira edição do programa de extensão universitária Caravanas Cênicas – UnB em Trânsito. Entre os dias 22 e 27 de agosto e com atividades que iam da manhã até a noite, foram assistidas dez peças do Cena Contemporânea intercaladas com oficinas, ensaios e encontros pedagógicos organizados pela equipe de professores.

“Foi um trabalho de mediação cultural para debater o teatro assistido. A partir do trabalho desenvolvido aqui, os alunos de EaD serão responsáveis por elaborar um trabalho para promover o encontro da arte e cultura com o público de suas cidades”, explica a responsável pelo projeto, professora Giselle Rodrigues.

Para a acadêmica, essas semanas são incríveis porque mudam a visão dos alunos sobre o fazer teatral. “A razão é que lecionamos licenciatura, mas este projeto de extensão faz os alunos vislumbrarem outros campos para sua atuação profissional além da sala de aula”, afirma Giselle.

Ela conta ainda que o Caravanas Cênicas surgiu como um projeto de extensão para atender aos alunos de 18 cidades nas quais a UnB leciona a distância e que culminou no caminho natural e saudável de integrar-se com os alunos do curso presencial. “Além da troca de experiências, serve para quebrar o estigma e para mostrar que o ensino a distância, às vezes, exige muito mais do aluno pelo fato de eles não terem os facilitadores encontrados no dia a dia do campus universitário”, relatou Giselle.

EMANCIPAÇÕES - “Veterano” no Caravanas Cênicas, o aluno do Polo de Apoio Presencial de Ipatinga (MG), Deiverson Tófano, 30 anos, esteve em todas as edições do projeto. Ele, que é psicólogo e concilia uma pós-graduação em psicodrama, diz valorizar muito esta oportunidade de vir e aprender esse conceito de mediação, que é pouco explorado nas cidades do interior. E dá como exemplo a aplicação do exercício de mediação cultural no seu trabalho junto à Secretaria de Saúde Pública de seu município. “Uso a experiência adquirida aqui para conduzir as discussões de relações humanitárias e sociais por meio de grupos terapêuticos e jogos teatrais e dramáticos com seus pacientes”, relata. Tófano acrescenta que a recompensa é receber o encantamento de seus pacientes e criar uma relação de respeito mútuo.

Reprodução
Deiverson Tófano usa a experiência adquirida no evento para conduzir as discussões de relações humanitárias e sociais em seu município

A partir do depoimento de Deiverson Tófano, a professora Giselle Rodrigues complementa com o exemplo de outros dois alunos que também estiveram presentes na primeira edição e promoveram a extensão do projeto em sua cidade. Uma aluna de Barretos (SP) foi contratada pela Secretária de Cultura do munícipio a partir do trabalho desenvolvido naescola pública onde atuava, e um aluno de Itapetininga (SP), que fez a produção e levou dois espetáculos à sua cidade, onde houve apresentação em um casarão centenário, sempre com a casa cheia.

Esse segundo exemplo mostra como estão interconectadas as três frentes que integram o projeto Caravanas Cênicas. “Pela natureza de seu trabalho, essa semana concluída ontem se chama ‘Caravana Mediadas’. Esses alunos que recebemos fazem um trabalho de produção para que suas cidades recebam uma mostra de teatro, o ‘Caravana de Espetáculos’”.

Agora a terceira edição do Caravana de Espetáculos, que possui parceria com outro programa de extensão, o Idas e Vindas, do Instituto de Artes, viaja no dia 6 de setembro para apresentar os espetáculos “A Boba” e “Vida Maria”, além de oferecer um dia de oficinas práticas para a iniciação teatral nas escolas de ensino médio das matogrossenses Primavera do Leste (MT) e Barra do Bugres e ainda estão previstas para novembro deste ano mostras em Cruzeiro do Sul e Rio Branco no Acre.

Na primeira edição, as cidades contempladas com esse “minifestival” foram Itapetininga (SP), Ipatinga (MG), Palmas (TO) e Alto Paraíso (GO). Na segunda edição, as mostras ocorreram em Cavalcante (GO), Primavera do Leste e Barra do Bugres(MG).

Por fim, a terceira frente que integra o projeto de extensão do curso de graduação a distância de teatro é o Caravanas de Oficinas, que, em 2013, promoveu em Ipatinga (MG) uma oficina de Bonecos de três dias com alunos, professores a agentes culturais. Lá, os professores da UnB deixaram um trabalho de mediação cultural que está sendo realizado e acompanhando pelos professores por meio da plataforma Moodle.
Secretaria de Comunicação da UnB
Fonte Secretaria de Comunicação da UnB 30/08/2014 ás 11h

Compartilhe

Caravanas Cênicas faz semana de parceria com o Cena Contemporânea