Brasil aprova propostas na reunião da Cites

Fonte Comunicação ICMBio 17/03/2013 às 10h

 

citesBrasília  – A delegação brasileira na 16ª Conferência das Partes (COP) da Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies Ameaçadas de Fauna e Flora (Cites, na sigla em inglês), realizada em Bangkok, na Tailândia, só tem o que comemorar. Todas as propostas defendidas pelos brasileiros foram aceitas pela Convenção.

O Brasil propôs a inclusão do tubarão Carcharhinus longimanus no Anexo II, em parceria com Colômbia e EUA; a inclusão de três espécies de tubarão martelo (Sphyrna lewini, S. mokarran and e S. zygaena ) no Anexo II, em conjunto com Colômbia, Costa Rica, União Européia, Equador, Honduras e México; e a inclusão do tubarão Lamna nasus no Anexo II, junto com Comoros, Croácia, União Européia e Egito.

Outras propostas do Brasil na Cites foram a inclusão das duas espécies de arraia manta (Manta spp.) no Anexo II, em conjunto com Colômbia e Equador; a retirada das bromélias Tillandsia kautskyi, Tillandsia sprengeliana e Tillandsia sucrei do Anexo II; e a alteração nas orientações relativas ao comércio do pau-rosa (Aniba rosaeodora), que está listado no Anexo II .

“É uma vitoria histórica, resultado de décadas de trabalho consistente e uma demonstração de amadurecimento e conscientização global da situação em que se encontra esse grupo tão vulnerável. Garantir o uso sustentável dos tubarões-martelo, tubarões-galha-branca, tubarão-sardo é uma conquista não só do Brasil mas do mundo”, disse Mônica Brick Peres, gerente de Biodiversidade Aquática e Recursos Pesqueiros, da Secretaria de Biodiversidade e Florestas do Ministério do Meio Ambiente (MMA).

As propostas da delegação brasileira estavam entre as 70 apresentadas por 55 países, que procuravam, entre outros, melhorar a conservação e uso sustentável de madeira, espécies marinhas, incluindo o tubarão, e várias outras espécies, como tartarugas de água doce, sapos e plantas ornamentais e medicinais.

Formada por representantes do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Ibama e Itamaraty, a delegação brasileira se considera vitoriosa em uma reunião como a da Cites, que regula o comércio de 39 mil espécies listadas em seus anexos, sujeitas ao controle de 178 países membros.

Segundo Peres, o Brasil demonstrou extrema competência técnica e diplomática, além de incontestável liderança no tema!. “Teremos muito trabalho pela frente, mas por hora, estamos aqui comemorando em Bangkok”, frisou a gerente do MMA.

Os tubarões são alvo em todo o mundo de tráfico ilegal. Além de promover o declínio populacional das espécies, o tráfico é associado a outras atividades ilegais e responsável pelo desvio de divisas relevantes dos países em que ocorrem.

Serviço:

Confira as propostas de alteração dos anexos da Cites feitas pelo Brasil e parceiros:

Inclusão do tubarão Carcharhinus longimanus no Anexo II em parceria com Colômbia and Estados Unidos;
Inclusão de 3 espécies de tubarão martelo (Sphyrna lewini, S. mokarran and S. zygaena ) no Anexo II em conjunto com Colômbia, Costa Rica, União Européia, Equador, Honduras e México
Inclusão do tubarão Lamna nasus no Anexo II em conjunto com Comoros, Croácia, União Européia e Egito
Inclusão das duas espécies de arraia manta (Manta spp.) no Anexo II em conjunto com Colômbia e Equador
Retirada da Bromélia (Tillandsia kautskyi) do Anexo II
Retirada da Bromélia (Tillandsia sprengeliana) do Anexo II
Retirada da Bromélia (Tillandsia sucrei) do Anexo II
Alteração nas orientações relativas ao comércio do pau-rosa (Aniba rosaeodora) que está listada no Anexo II .

Comunicação ICMBio
Fonte Comunicação ICMBio 17/03/2013 ás 10h

Compartilhe

Brasil aprova propostas na reunião da Cites