Berlusconi se reúne com Abbas e pede fim da expansão de colônias judaicas na Palestina

Fonte Ansa Flash. 03/02/2010 às 16h

O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, pediu hoje, depois de se reunir em Belém, com o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, o fim da expansão das colônias judaicas em territórios palestinos.

Segundo o premier, "a interrupção da expansão das ocupações por Israel" é uma "condição necessária" para "ativar as negociações de modo profícuo". Antes de ir à Cisjordânia, Berlusconi realizou uma visita oficial de três dias a Israel, onde discutiu diversos temas, entre eles o processo de paz entre israelenses e palestinos.

No encontro com Abbas, o chefe de Governo italiano defendeu a criação de um Estado palestino, ao mesmo tempo em que explicou que Israel tem a intenção de dar início a um processo de paz. Ontem, ele se reuniu com o premier do Estado judeu, Benyamin Netanyahu, com quem analisou o tema.

"Tive a oportunidade de encontrar dirigentes de Israel e, de comum acordo com eles, eu me permiti vir aqui representar a vocês, quase fotograficamente, a verdadeira, forte e decisiva vontade de começar as negociações de paz", enfatizou Berlusconi, que também lamentou a ofensiva israelense contra a Faixa de Gaza, ocorrida entre dezembro de 2008 e janeiro do ano passado. A operação causou a morte de 1.400 palestinos.

"Como foi certo chorar as vítimas do Holocausto, também é certo manifestar dor pelo que ocorreu em Gaza", comentou Berlusconi, ressaltando que "sempre quando a paz é substituída pela guerra, a racionalidade é substituída pela violência, a humanidade e as relações entre os homens se prejudicam".

Contudo, mais cedo, ao discursar no Knesset (Parlamento israelense), em Jerusalém, Berlusconi havia defendido a postura de Israel no conflito, dizendo que o país teve "uma justa reação" aos mísseis lançados pelo grupo rebelde Hamas a partir da Faixa de Gaza.

Abbas também reiterou a necessidade da criação de dois Estados, o que "é urgente" e "do interesse de toda a região e do mundo", e agradeceu a Berlusconi pelo "seu interesse perene na busca de uma solução à questão palestina". Antes de retornar a Roma, na tarde de hoje o premier italiano visita a Basílica da Natividade.

Críticas

Por outro lado, pouco antes da visita a Belém, o pronunciamento do premier no Knesset foi criticado pelo conselheiro político de Abbas, Nemer Hammad. "O que os israelenses fizeram em Gaza foi uma agressão: há um relatório que se chama Goldstone [elaborado pelo juiz Richard Goldstone e aprovado na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas em novembro] sobre crimes israelenses e nada que o premier Berlusconi disser muda a realidade", disse à ANSA.

As considerações do primeiro-ministro contra o governo do Irã e seu programa nuclear também causaram mal-estar e foram rebatidas hoje pelo deputado iraniano Kazem Jalali. "São declarações que não poderão ajudar a resolver os problemas, mas, ao contrário, vão torná-los mais complicados", disse o parlamentar.

Ansa Flash.
Fonte Ansa Flash. 03/02/2010 ás 16h

Compartilhe

Berlusconi se reúne com Abbas e pede fim da expansão de colônias judaicas na Palestina