Badminton: Brasil disputa todas as modalidades no Mundial da Dinamarca

Fonte Brasil 2016 25/08/2014 às 10h
Competição começa nesta segunda-feira (25.08), no Ballerup Super Arena, em Copenhagen. Pela primeira vez o país terá representantes em todas as chaves: simples masculina e feminina; duplas masculina e feminina; e duplas mistas

A partir desta segunda-feira (25.08), o Brasil encara o desafio do Campeonato Mundial de Badminton, disputado até 31 de agosto, no Ballerup Super Arena, em Copenhagen, na Dinamarca. Serão cerca de 400 jogadores, que irão representar os cinco continentes para um público esperado de 9.200 pessoas.

Mostrando evolução no esporte nos últimos anos, o Brasil chega com boas chances de medalha com Lohaynny Vicente e Alex Tjong, que faturaram o bronze no último Grand Prix de Badminton, disputado no início de agosto, no Rio de Janeiro. Além da dupla, o país também aposta em Daniel Paiola, melhor brasileiro no ranking mundial (67º colocado) e bronze nos Jogos Pan-Americanos de 2011, em Guadalajara, no México.

“No Grand Prix do Rio de janeiro, nós finalizamos com dois bronzes em disputa com atletas de alto nível. E estamos participando de diversos campeonatos que garantam boa pontuação no ranking, tendo conquistando resultados em todos eles. A evolução é clara e os saldos estão aparecendo para a comunidade do badminton”, afirma José Roberto Santini, diretor técnico da Confederação Brasileira de Badminton (CBBd). “Precisamos sedimentar e sustentar este crescimento com qualidade para que a próxima geração tenha os atuais atletas como referência. Estamos no caminho certo”, prossegue o dirigente.

Fotos: 1 – Divulgação 2 – Getty Image 3 – Leonardo Dalla/ME
Fotos: 1 – Divulgação 2 – Getty Image 3 – Leonardo Dalla/ME#1 – O Ballerup Super Arena, em Copenhagen, palco do Mundial 2 – Daniel Paiola, melhor brasileiro classificado no ranking mundial 3 – Alex Tjong e Lohaynny Vicente, com o bronze no GP do Rio de Janeiro
1 – O Ballerup Super Arena, em Copenhagen, palco do Mundial 2 – Daniel Paiola, melhor brasileiro classificado no ranking mundial 3 – Alex Tjong e Lohaynny Vicente, com o bronze no GP do Rio de Janeiro

Pela primeira vez, o Brasil terá atletas disputando as seis modalidades em um Campeonato Mundial. Com isso, o país terá atletas nas categorias simples masculina, com Daniel Paiola e Alex Tjong ; simples feminina, com Lohaynny Vicente e Fabiana Silva; duplas masculinas, com Alex Tjong e Hugo Arthuso; duplas femininas, com Lohaynny Vicente e Paula Pereira; e duplas mistas, com Daniel Paiola e Paula Pereira, além de Hugo Arthuso e Fabiana Silva.

“O Brasil já jogou em outros Campeonatos Mundiais. No deste ano, de forma inédita, nós nos classificamos em todas as modalidades e, agora, estamos seguindo com uma boa delegação”, destacou Santini.

Os atletas brasileiros demonstram otimismo para o Mundial. “Este é o terceiro Mundial que eu participo e é uma satisfação enorme poder representar o meu país em uma competição tão importante. Não é fácil se classificar para um evento como esse, que serve de incentivo para todos nós e transmite uma mensagem de que o trabalho está sendo bem feito”, vibra Daniel Paiola.

Para ele, o momento do badminton brasileiro é de evolução. “Conseguir boas classificações é o foco principal da nossa equipe. Mas é um objetivo que queremos alcançar a longo prazo. No momento, a concentração é para o Mundial da Dinamarca e, depois, para o próximo e assim por diante. Vale ressaltar que os pontos ganhos em um torneio mundial são muito importantes para a nossa classificação no ranking internacional, já visando os Jogos Pan-Americanos de Toronto, em 2015”, analisa o jogador.

Grupo de 12 atletas

Em trabalho com os atletas há pelo menos dois anos, a CBBd vê nas competições internacionais a oportunidade para classificação do país e dos atletas para os Jogos Pan-Americanos de Toronto, em 2015, e para os Jogos Olímpicos do Rio 2016. “Hoje, temos um grupo composto de 12 atletas que dificilmente será alterado, pois estamos com esta configuração há algum tempo. Os últimos dois anos de preparação propiciaram um planejamento intenso para chegarmos às competições internacionais com bons rendimentos e queremos fechar este ano com uma condição de jogar bem qualquer uma dessas competições”, explica José Roberto Santini.

Caso mantenha a posição atual no ranking (32ª) até fevereiro de 2015, o Brasil garantirá quatro vagas masculinas e quatro femininas para os Jogos Pan-Americanos de Toronto. Com isso, de acordo com o diretor técnico da CBBd, o objetivo da Confederação é dar sustentação ao ranking dos atletas, de modo a garantir as vagas para o Pan no ano que vem.

Jogos Olímpicos Rio 2016

Para os Jogos Olímpicos Rio 2016, a preparação continua com os mesmos atletas, mas com o foco na melhora das classificações individuais no ranking mundial. “Em abril de 2016, os melhores atletas estarão classificados para os Jogos Olímpicos. Nós já temos duas vagas (uma no simples masculino e um no feminino) por sermos o país sede e quem jogará será o melhor atleta no ranking mundial naquele período”, explica José Roberto Santini. “No entanto, queremos que eles trabalhem como se fossem disputar a vaga para os Jogos Olímpicos em outro país”, ressalta o dirigente.

“Desde o ano passado, a Confederação Brasileira de Badminton vem investindo em uma Seleção permanente, que treina diariamente em Campinas (SP). O projeto visa, principalmente, uma boa atuação no Pan de 2015 e a classificação do maior número de atletas para os Jogos Olímpicos do Rio, em 2016”, destaca Daniel Paiola. “Mas para chegarmos a esse objetivo final é preciso participar do Circuito Mundial. Todos nós estamos muito bem preparados para as grandes competições e estamos mostrando isso ao longo dos últimos dois anos com grandes resultados para o badminton brasileiro”, completa o atleta.

Sobre a preparação para o Pan e os Jogos Olímpicos, Daniel Paiola vislumbra medalhas para a equipe brasileira. “Minha preparação segue totalmente como o planejado: estou elevando meu nível de jogo, subindo no ranking mundial e tenho certeza de que não só eu, mas toda equipe estará pronta em 2015 para trazer medalhas para o Brasil nos Jogos Pan-Americanos”, afirma.

Daniel Paiola não esconde que sonha com os Jogos do Rio 2016, mas tenta controlar a ansiedade para não abrir portas para possíveis frustrações. “Participar das Olimpíadas no Brasil seria algo inacreditável e indescritível, uma realização de um sonho. Mas, honestamente, não penso nisso ainda. Tenho muitas etapas a percorrer e muita coisa para evoluir. Na minha cabeça, a única coisa que tenho certeza é que serão no mínimo dois atletas brasileiros representando nosso país. Acho muito precoce e imaturo colocar nomes certos, pois a vida dá voltas e o mundo esportivo é imprevisível”, finaliza o jogador.
Brasil 2016
Fonte Brasil 2016 25/08/2014 ás 10h

Compartilhe

Badminton: Brasil disputa todas as modalidades no Mundial da Dinamarca