Aterro Sanitário de Gramacho é fechado depois de 34 anos recebendo o lixo da cidade do Rio de Janeiro

Fonte Ascom - MMA 04/06/2012 às 0h

Aterro Sanitário de Gramacho é fechado depois de 34 anos recebendo o lixo da cidade do Rio de Janeiro


A iniciativa é parte da Política Nacional de Resíduos Sólidos do governo federal, que prevê, até 2014, a desativação de todos os depósitos a céu aberto no país.

A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, participou, domingo (03/06), do fechamento do lixão de Gramacho, em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro. O maior aterro sanitário da América Latina completaria 35 anos em 2013. "Este é um momento histórico para o desenvolvimento sustentável do país", afirmou. "A solução é permanente e prevê ações que promovem o desenvolvimento econômico e social e a preservação do meio ambiente". Com isso, a ministra, citou os três pilares da Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente (Rio+20), que acontece entre 13 e 23 deste mês.

As cerca de 7 mil toneladas de lixo geradas por dia na cidade do Rio de Janeiro serão despejadas, a partir de agora, na Central de Tratamento de Resíduos de Seropédica – onde o solo foi triplamente impermeabilizado. A nova central garantirá o destino adequado dos resíduos, sem riscos para o meio ambiente. O chorume, líquido resultante da decomposição, vira água de reuso e o biogás será transformado em energia e convertido em créditos de carbono. "Gastamos pouco para jogar o lixo aqui e agora vamos gastar milhões para consertar o erro", disse o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB).

DIÓXIDO DE CARBONO


"Com o novo destino do lixo, as prioridades da Convenção do Clima serão respeitadas", disse a ministra. O metano, contido o chorume, é um dos principais poluentes, 21 vezes mais nocivo do que o dióxido de carbono. Altamente inflamável, será utilizado para a geração de energia. No local, foram instalados 320 poços de captação e dutos de transporte até a Usina de Biogás. De lá, o gás parte para a Refinaria Duque de Caxias (Reduc), da Petrobrás, substituindo em parte o gás natural. "Vamos usar esse modelo para encerrar todos os lixões", destacou Izabella.

Todas as 1.707 pessoas que tiravam o sustento do lixo receberam, na sexta-feira (01/06), uma indenização de cerca de R$ 14 mil para recomeçar a vida. Cursos de capacitação e centros de referência em reciclagem estão sendo preparados pela prefeitura do Rio de Janeiro, em parceria com o setor privado. "Vamos acompanhar essas pessoas, tratá-las com dignidade e respeito", garantiu Paes.

AÇÃO GLOBAL

Segundo a ministra, a ação da prefeitura é local e global, pois representa uma mudança de atitude que está nos parâmetros de sustentabilidade das Nações Unidas. A menos de duas semanas da Rio+20, o evento é emblemático do novo paradigma de desenvolvimento que o mundo está construindo, cujos meios serão amplamente discutidos durante a Conferência.

No final da manhã, foi inaugurada a placa "Aterro sanitário de Jardim Gramacho – Fechado". O ex-catador Tião Santos, 33 anos, protagonista do filme Lixo Extraordinário, dirigido pelo artista plástico Vik Muniz, foi ovacionado quando chegou ao local. Ele é presidente da Associação de Catadores de Material Reciclável de Jardim Gramacho e ativista do Movimento Nacional de Catadores de Materiais Recicláveis.

Ascom  - MMA
Fonte Ascom - MMA 04/06/2012 ás 0h

Compartilhe

Aterro Sanitário de Gramacho é fechado depois de 34 anos recebendo o lixo da cidade do Rio de Janeiro