Acordo entre Marinha e Petrobras prevê investimento de R$ 3 milhões na Antártida

Fonte Agência Brasil 19/01/2010 às 16h

A Petrobras assinou hoje (19) acordo de cooperação com a Marinha do Brasil, por meio da Secretaria da Comissão Interministerial para os Recursos do Mar (Secirm), para melhorias na Estação Antártida Comandante Ferraz. O projeto envolve ainda a Universidade Federal do Rio Grande e a Fundação de Apoio à Universidade do Rio Grande. O investimento da Petrobras será de R$ 3 milhões.

Com duração de quatro anos, o acordo prevê a implantação de um novo sistema de recebimento de combustíveis contínuo, rápido e seguro contra vazamentos na Estação Comandante Ferraz, além do desenvolvimento de pesquisas na área de segurança, meio ambiente e saúde. Estão previstas também melhorias nas instalações de terra, visando ao constante aperfeiçoamento da segurança ambiental e à preservação do delicado ecossistema antártico.

Segundo os termos do acordo, o novo sistema de abastecimento prevê a instalação de um carretel, de cerca de mil metros, de tubo flexível retrátil, cuja extremidade será conectada ao navio nas operações de descarga do combustível.

O secretário da Comissão Interministerial para os Recursos do Mar, Marcos José de Carvalho Ferreira, disse que o empenho da Petrobras tem sido fundamental para o programa há mais de duas décadas. “Sem o adequado apoio logístico à estação, nenhum projeto científico poderia prosperar”, afirmou Ferreira. Para ele, o novo sistema possibilitará o abastecimento de combustível a partir dos navios da Marinha em menos tempo e com mais segurança do ponto de vista ambiental.

Como contrapartida, a Marinha dará apoio logístico e operacional à Petrobras, que fará pesquisas sobre o uso de energias renováveis, a geração de energia em sistemas isolados e ambientes severos de baixas temperaturas e a avaliação de eficiência energética. Estão previstos também estudos nas áreas de segurança, meio ambiente e saúde, úteis na atuação em regiões isoladas.

O diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, destacou que é preciso conhecer a fundo as trocas de temperatura que ocorrem na Antártica para a prevenção contra as mudanças climáticas. “O acordo possibilitará importantes melhorias nas instalações e operações da estação, que atendem plenamente os requisitos de segurança ambiental necessários à preservação do delicado ecossistema da Antártica, que exerce profunda influência no clima global.”


 

Agência Brasil
Fonte Agência Brasil 19/01/2010 ás 16h

Compartilhe

Acordo entre Marinha e Petrobras prevê investimento de R$ 3 milhões na Antártida