X Games colocam o país na rota dos esportes radicais no mundo

Fonte Ascom – Ministério do Esporte 15/04/2013 às 11h


Os melhores atletas radicais do planeta conhecerão uma das sete maravilhas naturais do mundo. Com as Cataratas do Iguaçu como pano de fundo, a edição sul-americana dos X Games 2013, entre os dias 18 e 21 de abril, em Foz do Iguaçu (PR), é a primeira em 18 anos que será realizada com estrutura completa fora dos Estados Unidos. Considerada como olimpíadas dos esportes radicais, a etapa nacional conta com o apoio do Ministério do Esporte.

Transmitida para mais de 175 países, chegando a 380 milhões de lares, a competição firma o Brasil no centro esportivo mundial, com as mais variadas vertentes esportivas: Fórmula 1 (GP de Interlagos), futebol (Copa das Confederações da FIFA 2013 e Copa do Mundo da FIFA 2014), esportes olímpicos e paraolímpicos (Jogos Rio 2016) e agora os esportes radicais (X Games).

O evento reunirá mais de 200 atletas em 15 modalidades de quatro esportes: moto, rali de carro, skate e ciclismo BMX. A cidade paranaense se junta às sedes de Los Angeles (EUA), Aspen (EUA), Tignes (França), Barcelona (Espanha) e Munique (Alemanha), que receberão os jogos anualmente até 2015. No Brasil, os palcos serão o Parque das Cataratas e o Parque Infraero, em Foz do Iguaçu.

O portal do Ministério do Esporte entrevistou o secretário Nacional de Esporte de Alto Rendimento do Ministério do Esporte, Ricardo Leyser, sobre a importância de receber mais um megaevento esportivo mundial, agora voltado para modalidades que transmitem velocidade e quebra de limites.

Montagem da estrutura dos X Games em Foz do Iguaçu

Confira a entrevista:


ME - Qual a importância de receber os X Games para a cidade de Foz do Iguaçu e para o Brasil?

Os X Games são um dos maiores eventos esportivos do mundo. É um evento especial, pois tem um grande apelo junto à juventude. Algo que vai além da competição esportiva, que por si só é um grande benefício para a cidade e para o país, com todo o impacto econômico que gera. O Ministério do Esporte, ao ajudar a viabilizar o evento, possibilita uma visibilidade mundial para um dos principais destinos turístico do país, ao mesmo tempo em que divulga essas modalidades esportivas para a juventude brasileira.

ME - Depois dos Jogos Pan-Americanos de 2007 e dos Jogos Mundiais Militares de 2011, o Brasil volta a receber grandes eventos esportivos. O senhor acredita que isso ajudará a ampliar os esportes radicais no país?

Muitos dos esportes chamados de radicais têm mais praticantes do que algumas modalidades olímpicas. É mais um passo que o Brasil dá para desenvolver e estimular o mercado de esportes radicais no país. Lembrando que haverá uma sequência de três edições.

ME - O apoio do Ministério do Esporte é para esta edição ou inclui as três programadas para o país?

Por enquanto, o apoio é para a edição de 2013. Ao final, será realizada uma avaliação pelo Ministério do Esporte. A partir daí, poderemos analisar os benefícios de receber esse megaevento e projetar as futuras ações.

ME - Qual é o legado esportivo que o Ministério do Esporte espera com a realização do evento?
A massificação do esporte. Nós temos grandes atletas brasileiros que vão competir e que podem inspirar as novas gerações brasileiras para a prática esportiva a partir dos X Games. Ao realizar essa edição em Foz do Iguaçu, uma cidade que tem uma estrutura hoteleira e está acostumada a receber muitos turistas, esperamos que realmente a população brasileira se desloque ou acompanhe pela televisão.

ME - Que apoio o Ministério do Esporte oferece para os atletas de esportes radicais atualmente?

Em 2013, o maior apoio será voltado aos X Games. Há também investimento do governo federal para viabilizar pistas de skates e garantir um legado esportivo às cidades brasileiras.


Ascom – Ministério do Esporte
Fonte Ascom – Ministério do Esporte 15/04/2013 ás 11h

Compartilhe

X Games colocam o país na rota dos esportes radicais no mundo