Volta às aulas: ESET dá dicas de segurança na internet para pais e professores

Fonte Agência Ideal 11/03/2013 às 20h

Empresa destaca os três principais riscos a que crianças e adolescentes estão expostos na internet, bem como detalha uma série de boas práticas de segurança para orientar os jovens

Março de 2013 – Após a volta às aulas, tende a existir um aumento no uso da internet para pesquisas e buscas de informações escolares. O que também aumenta a exposição de crianças e adolescentes a riscos e à ação de cibercriminosos. Uma questão que, segundo os especialistas do laboratório de pesquisas da ESET América Latina – fornecedora de soluções de segurança da informação – merece uma atenção especial de pais e professores, os quais devem orientar os mais jovens sobre as melhores práticas de navegação segura na web.

“A internet tornou-se uma popular fonte para pesquisas e estudos escolares, além de estar presente também nos momentos de diversão e descontração das crianças e adolescentes. Enquanto essa ferramenta pode ser muito benéfica no sentido da facilidade de acesso a informações globais, por outro lado, ela abre portas para diversos riscos”, alerta Camillo Di Jorge, Country Manager da ESET Brasil. “Os pais e professores devem estar atentos, acompanhando de perto e orientando os jovens usuários sobre as boas práticas de segurança online”, completa.

De acordo com o laboratório da ESET América Latina, os três focos de incidentes relacionados ao uso da internet por crianças e adolescentes durante o período de volta às aulas são:

· Busca de informações na internet: A avaliação da veracidade do que é lido torna-se um problema. As crianças, com os educadores e pais, devem analisar as informações com atenção, para determinar quais são provenientes de fontes confiáveis.

· Ação de cibercriminosos: Diferentes tipos de códigos maliciosos podem impactar a privacidade do usuário. Além disso, nesse período do ano, crescem os incidentes relacionados a roubo de identidade, envio de mensagens com conteúdo erótico (sexting), e o chamado grooming, que é a persuasão de um adulto a uma criança, a fim de obter uma conexão emocional e criar um ambiente de confiança para que o menor realize atividades sexuais.

· Divulgação de informações e cyberbullying: Ao usar as redes sociais para compartilhar suas experiências de vida na escola, as crianças devem ter cuidado com quais informações compartilham publicamente. Além disso, essas plataformas são o lugar habitual de atos de cyberbullying ou cyberstalking, ou seja, o uso de redes sociais ou outros meios online para assediar ou perseguir intencionalmente uma pessoa. Por isso, os adultos devem estar atentos e detectar tais situações para intervir rapidamente.

Dicas para crianças e adolescentes

Como forma de evitar que as crianças e adolescentes sejam alvos de ataques, a ESET preparou uma lista de boas práticas de segurança que precisam ser compartilhadas pelos pais e professores:

· Estabeleça um diálogo permanente e aberto com as crianças e adolescentes sobre os hábitos na internet. Diante de qualquer comportamento suspeito, mensagem ou situação desconfortável, os jovens devem procurar seus pais ou um adulto de confiança, para conversar e pedir ajuda

· Lembre que as senhas de acesso não devem ser compartilhadas com ninguém, além dos pais

· Indique para que as crianças e adolescentes nunca forneçam a desconhecidos informações pessoais ou da família, como endereço, nome dos pais, números de telefone etc.

· Oriente os jovens a nunca marcar encontros com amigos virtuais

· Destaque que crianças e adolescentes não devem compartilhar fotos ou vídeos na internet com estranhos, já que podem ser utilizados para atividades ilegais ou pornográficas

· Avise sobre os cuidados ao usar as redes sociais. Além dos pais e professores orientarem sobre quais informações devem ser compartilhadas, é importante que os pais ajudem os jovens a configurar a privacidade no perfil das redes sociais para que informações, fotos e comentários sejam visualizados apenas por amigos autorizados, e não expostos a qualquer usuário.

· Peça para que os jovens nunca respondam mensagens de estranhos que façam insinuações ou propostas sexuais e avisem um adulto responsável caso isso aconteça

· Os pais devem tomar o cuidado também de manter o computador com uma solução de segurança atualizada, que envolva antivírus, antiphishing e firewall. A opção de Controle dos Pais também é interessante para que determinadas páginas na web não sejam visitadas

“Com a rápida evolução dos computadores e do mundo virtual, os pais estão sob pressão com a dupla tarefa de educar-se para poder educar. O fundamental é ter um diálogo aberto com os filhos, estabelecer condições claras para o uso da internet e ser um bom exemplo”, comenta Raphael Labaca Castro, Coordenador de Pesquisa e Educação da ESET América Latina.

Para saber mais sobre como diminuir os riscos aos quais estão expostas as crianças e adolescentes na Internet, acesse o Guia Para Pais de Proteção Infantil na Internet da ESET América Latina: http://www.eset-la.com/pdf/documento_guia_para_pais_pt_baixa.pdf

Sobre a ESET

Fundada em 1992, a ESET é uma companhia global de soluções de software de segurança que provê proteção de ultima geração contra ameaças eletrônicas. Com matriz na Bratislava (Eslováquia), a empresa conta com escritórios em oito países, incluindo o Brasil.

Além do seu principal produto, o antivírus ESET NOD32, desde 2007 a companhia oferece a solução ESET Smart Security, que integra a premiada proteção proativa do NOD32 com um firewall e um antispam.

Para mais informações, acesse o site www.eset.com.br, o blog http://blogs.eset.com.br/laboratorio/, ou acompanhe a ESET nas redes sociais: https://www.facebook.com/EsetBrasil e https://twitter.com/eset_brasil

Agência Ideal
Fonte Agência Ideal 11/03/2013 ás 20h

Compartilhe

Volta às aulas: ESET dá dicas de segurança na internet para pais e professores