Volei - Fabiana, camisa 1 da seleção, capitã da simplicidade

Fonte Assessoria de Comunicação - CBV | 09/05/2012 às 14h
Sua simplicidade e simpatia, bem seu jeitinho mineiro de ser, fizeram com que fosse escolhida pelo próprio grupo a capitã da seleção brasileira feminina de vôlei. No hall das grandes jogadoras que tiveram a responsabilidade e a honra de vestir a mesma braçadeira, como, por exemplo, Ana Moser, Fernanda Venturini, Valeskinha e Fofão, a central Fabiana, do alto de seu 1,93m, curte a missão que lhe foi dada.

Com a despedida de Fofão da seleção após o inédito ouro olímpico, em Pequim-2008, quem assumiu o posto no ano seguinte foi a também levantadora Dani Lins. Até que, em 2010, após reunião entre o técnico José Roberto Guimarães e as jogadoras, Fabiana foi eleita com louvor a mais nova capitã. Ou seja: neste último ciclo olímpico, a voz de comando em quadra foi desta mineira de Belo Horizonte.

“Tudo começou quando o Zé (José Roberto) fez uma reunião em que todas nós tínhamos que votar. Éramos 14. Recebi 13 votos e a Sheilla, um, que foi o meu voto. Sinceramente, eu não esperava. Nunca tinha sido capitã da seleção. E não sabia que o grupo todo tinha essa confiança em mim”, lembrou Fabiana, que foi capitã em praticamente todas as equipes que defendeu.

Fabiana tem uma vasta experiência na seleção. Lá se vão mais de nove anos servindo o país nas mais diversas competições. Mas para chegar a ser capitã é preciso muito mais do que “tempo de casa”. É necessário ter liderança e ser respeitada.

“Gosto de falar o tempo inteiro em quadra e ouvir todas também, além da tranquilidade que eu tenho para me posicionar e decidir as coisas. Busco dar força, ajudar e apoiar. Deixo o papel de dar bronca para o Zé (risos)”, comentou Fabiana, lembrando que a convivência com o treinador nos últimos seis meses na Turquia, onde pela primeira vez trabalharam juntos em um clube, no caso o Fenerbahce, foi de fundamental importância para sua afirmação.

A dupla, ainda com futuro profissional indefinido, está de volta ao Brasil, agora na busca pela vaga nos Jogos de Londres. Sorte da torcida de São Carlos (SP), sede do Pré-Olímpico Sul-Americano feminino de vôlei. Nesta QUARTA-FEIRA (09.05), às 19h30, pelo Grupo A, a equipe estreia no torneio contra o Uruguai, no ginásio Milton Olaio Filho. Certeza de casa cheia e de festa para as atuais campeãs olímpicas, que não jogaram no país em 2011.

“Vamos com força total nesse objetivo de garantir uma vaga olímpica logo. Num momento como esse, é ótimo poder jogar em casa, ao lado da nossa torcida, da nossa família, dos nossos amigos, e buscar uma classificação para a Olimpíada. Foi a melhor coisa que poderia ter acontecido para nós. Motivação é o que não falta”, garantiu a camisa 1.

Como capitã da seleção, Fabiana já levantou as taças de campeão dos Jogos Pan-Americanos, da Copa Pan-Americana e do Sul-Americano, todas em 2011. Mas nada seria tão marcante como levantar uma outra, para o mundo inteiro reverenciá-la. Uma cena que ficaria eternizada, para a história. Um momento para poucos:

“De vez em quando paro para pensar, sim, na chance de levantar o troféu na Olimpíada. Mas quero mesmo é poder curtir todos os momentos em Londres, no sentido de pensar jogo a jogo, com a maior seriedade em todos eles. Primeiro, no entanto, precisamos conquistar a vaga no Pré-Olímpico, nesta semana.”

Assessoria de Comunicação - CBV |
Fonte Assessoria de Comunicação - CBV | 09/05/2012 ás 14h

Compartilhe

Volei - Fabiana, camisa 1 da seleção, capitã da simplicidade