Trabalhadores rurais de Brazlândia participam de palestra sobre intoxicação

Fonte Agência Brasília 21/08/2014 às 20h


Médica toxicologista apresentou alterações na saúde do trabalhador devido à exposição ao agrotóxico

BRASÍLIA (21/8/14) - Cerca de 100 trabalhadores rurais de Brazlândia e entidades de classe participaram nesta quinta-feira (21) de palestra educativa e de sensibilização quanto ao uso do agrotóxico. O evento, do qual o Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest) também participou, foi realizado pelo Grupo de Trabalho Interinstitucional (Getrin 10), às 14h30, na administração regional da cidade.



De 2009 a 2014, o Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) registrou 154 casos de intoxicação em trabalhadores rurais no DF. Segundo o médico do trabalho, responsável pelo Núcleo do Agravo Químico da Cerest, José Aldo, neste ano, o Núcleo do Agravo Químico da Cerest já avaliou 170 pessoas em Brazlândia para medir o nível de agrotóxico. Os resultados serão entregues na próxima semana.



No encontro em Brazlândia, a médica Toxicologista da Cerest, Andrea Amoras Magalhães, apresentou a realidade do trabalho rural e as alterações na saúde do trabalhador devido à exposição ao agrotóxico. "Falamos sobre as doenças neurológicas, psiquiátricas, dermatológicas e outras decorrentes da exposição. Educamos o trabalhador na utilização dos produtos e, também, as técnicas de proteção, pois 60% dos casos que atendemos têm algum agravo por intoxicação", disse.



AÇÕES REGIONAIS – O Getrin 10 é um grupo composto por instituições públicas e privadas com o objetivo de unir esforços para desenvolver ações regionais no âmbito do trabalhador do Distrito Federal. "Este é o primeiro encontro nessa região com palestra educativa para o cumprimento da meta nº 5 do Getrin. De Brazlândia vamos percorrer todo o DF", declarou José Aldo Gomes.



A meta nº 5 tem a finalidade de fomentar atos do Poder Executivo para inclusão de requisitos de segurança e saúde no trabalho em editais de licitação e contratos administrativos. Neste ano, o foco está no trabalhador rural.



"Nós da Cerest já integramos o Getrin 10, juntamente com a Vigilância à População Exposta a Agrotóxico. Neste ano o foco é o agricultor, mas nosso trabalho também é voltado para o frentista, o pintor de automóvel e qualquer outro profissional que tenha substâncias tóxicas inseridas nas suas atividades", afirmou Gomes.
Agência Brasília
Fonte Agência Brasília 21/08/2014 ás 20h

Compartilhe

Trabalhadores rurais de Brazlândia participam de palestra sobre intoxicação