Tony Blair diz não se arrepender da invasão do Iraque

Fonte Ansa flash 19/03/2013 às 16h

LONDRES, 19 MAR (ANSA) - O ex-primeiro-ministro britânico Tony Blair afirmou que se a Grã Bretanha não tivesse participado da invasão do Iraque, o povo teria se rebelado contra Saddam Hussein e a situação "seria muito pior que na Síria" e diz não se arrepender da invasão do país.

"Os iraquianos se rebelaram em grande quantidade e foram assassinados também em grande número", explicou o ex-chefe de governo britânico, ao canal BBC. Blair defende que não existe arrependimento pela invasão. "Como posso lamentar de ter derrotado um monstro que causou uma carnificina assim?", questiona o britânico.

Blair foi convidado a falar no canal inglês pelo décimo aniversário da invasão liderada pelos Estados Unidos e uma coalizão militar que incluía o Reino Unido. A guerra no Iraque começou no dia 20 de março de 2003, a Grã-Bretanha perdeu 179 soldados em combate antes de abandonar os Iraque em abril de 2009.

Órgãos internacionais afirmam que a guerra e o pós-guerra no Iraque provocaram a morte de pelo menos 100 mil iraquianos. Blair acredita que se as tropas não tivessem invadido o país "sem dúvida teria surgido um movimento para derrotar [o regime de Hussein]".

Ansa flash
Fonte Ansa flash 19/03/2013 ás 16h

Compartilhe

Tony Blair diz não se arrepender da invasão do Iraque