SUPERLIGA FEMININA 12/13: Maior campeã da história, Unilever busca o oitavo título

Fonte Assessoria de Comunicação - CBV 03/04/2013 às 21h

 

Foto da notícia

Juciely vem sendo um dos destaques da Unilever

 

SÃO PAULO, 03.04.2013 – Histórias de superação não são raras no esporte. Contusões e dores quase fazem parte do dia a dia de um atleta profissional. E com a ponteira Natália não foi diferente. A jogadora passou a temporada passada inteira sem poder atuar e, após duas cirurgias, retornou às quadras, buscou o melhor ritmo de jogo e está em um bom momento para ajudar a Unilever (RJ), maior campeã da história, a buscar o oitavo título da Superliga feminina de vôlei 12/13. Companheira de Natália no grupo carioca, a central Juciely também superou um momento difícil em 2012 e vem sendo um dos destaques da competição. A final será contra o Sollys/Nestlé (SP), no próximo DOMINGO (07.04), às 10h, no Ibirapuera, em São Paulo (SP).

O tumor benigno encontrado na canela de Natália justificaram as fortes dores sentidas desde o ano anterior. Contratada pelo time do Rio de Janeiro para a temporada 11/12, a ponteira não teve condições de defender a nova equipe em nenhuma partida. Superado o problema, a Natália foi novamente convocada para a seleção brasileira e esteve com a equipe nos Jogos Olímpicos de Londres/12, mas pouco entrou em quadra. Por isso, o ritmo de jogo foi recuperado ao longo da Superliga 12/13, quando, enfim, teve a oportunidade de vestir a camisa da Unilever.

Se na fase classificatória Natália ainda estava se reajustando ao jogo de antes, a partir dos playoffs começou a demonstrar sua evolução e, agora, se diz pronta, física e mentalmente, para a grande final da competição. “Fiz um turno e returno abaixo do que eu gostaria, mas era normal por estar voltando. A confiança ainda não estava tão forte. Mas a partir das quartas de final melhorei e acho que cresci na hora certa. Agora, me sinto preparada para poder ajudar o time a vencer essa final”, afirmou Natália.

Vivendo um bom momento na carreira, a ponteira da Unilever está feliz e não vê a hora de entrar em quadra para participar, de fato, de uma decisão com a equipe carioca.

“A minha cabeça está muito boa. Estamos todos pensando só na vitória, em uma preparação apenas para essa final. Claro que tem um pouco de ansiedade envolvida, porque queremos que chegue logo o dia da partida, mas está chegando. Depois de assistir a final no ano passado, já me sinto vitoriosa por ter conseguido voltar a jogar em alto nível e estou feliz por fazer a minha primeira final com a camisa da Unilever. Espero corresponder à expectativa e confiança que todos da equipe depositaram em mim”, comentou Natália.

Regular e eficiente, Juciely está pronta para a decisão

Além de Natália, outra jogadora da Unilever passou por um momento difícil em 2012 e vem se destacando nesta temporada. A central Juciely foi uma das últimas jogadoras a serem cortadas dos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012. Mesmo fora do grupo, a atacante fez questão de torcer pelas companheiras de seleção.

“Foi muito triste ter ficado fora dos Jogos Olímpicos, mas consegui, com o apoio da minha família e dos meus amigos, virar a página. Torci muito pelo grupo e fiquei feliz com a vitória delas”, disse a central campeã pan-americana em 2011.

Nesta temporada, a meio de rede garante que esqueceu o momento delicado e passou a se dedicar integralmente para a conquista da Superliga pela equipe carioca.

“Essa temporada na Unilever está sendo muito positiva. O grupo tem um astral muito bom. Estou feliz e alegre. Acredito que isso acaba refletindo dentro de quadra. Sabemos que teremos um adversário muito difícil do outro lado da rede. As duas equipes têm grandes jogadoras, campeãs olímpicas, e atletas que se conhecem muito bem, dentro e fora da quadra. A partida tem tudo para ser um grande espetáculo”, analisou a atacante.

Ao longo do torneio, a jogadora tem sido uma das atletas mais consistentes da Unilever. Juciely tem o quinto bloqueio mais eficiente da competição e aparece ainda, com destaque, em outro fundamento, normalmente não considerado uma de suas especialidades, o saque.

“O saque tem muita relação com a concentração. É um momento que o atleta precisa estar muito ligado. Tenho treinado bastante este fundamento que tem muita importância na tática do jogo”, finalizou a central, oitava sacadora mais eficiente da Superliga feminina.

GALERIA DE FOTOS

http://www.cbv.com.br/v1/imprensa/abrir.asp?id=1568

De São Paulo, Clarissa Laurence e Vicente Condorelli

Assessoria de Comunicação - CBV
Fonte Assessoria de Comunicação - CBV 03/04/2013 ás 21h

Compartilhe

SUPERLIGA FEMININA 12/13: Maior campeã da história, Unilever busca o oitavo título